Pai no pré-natal e sua importância

Pai no pré-natal: presença negligenciada

O pensamento de que a mãe é a única que deve aprender a cuidar da criança é muito forte no mundo. Mas aos poucos as coisas vão mudando e mais pais estão se empenhando em ser mais presentes em consultas pré-natais e cursos preparatórios para a chegada do bebê. E então surge a pergunta: qual o papel do pai no pré-natalComo ajudar a mãe no parto? Neste texto você encontrará informações sobre a importância do pai no pré-natal.

Incentive a ida do pai no pré-natal

Muitos homens não gostam de ir ao hospital. Talvez porque não se sentem confortáveis ou simplesmente não gostem do ambiente hospitalar. No entanto, a presença do companheiro, tanto nas consultas, quanto no momento do parto é muito importante. E foi concluído em pesquisa que as parturientes se sentem muito satisfeitas com a experiência de serem acompanhadas pelos parceiros. A pesquisa reforça também, que além da presença é importante que o acompanhante saiba como agir em cada uma das situações. E é justamente para aprender as condutas esperadas dele é que o pai do bebê deve comparecer às consultas do pré-natal e em oficinas preparatórias que muitos hospitais oferecem. Aproveite para tirar suas dúvidas em consultas nestas consultas pré-natais.

Cuidar de si também é cuidar da família

Aproveitando que já estão nas consultas pré-natais, é uma boa ideia fazer um check-up completo na saúde, tanto da mãe quanto do pai. Pois a saúde deles interfere sim, na saúde da criança. A terceira etapa da pesquisa Saúde do Homem, Paternidade e Cuidado, realizada pelo Ministério da Saúde concluiu que 80,71% dos homens que acompanharam suas companheiras nas consultas pré-natais se sentiram motivados a cuidar se sua própria saúde. O que é um dado positivo, assim contribuindo para a saúde da família como um todo. Tão importante que o governo brasileiro está investindo está investindo no projeto “pré-natal masculino” e capacitando os profissionais da rede pública para acolher da melhor forma o futuro papai.

Criando o laço entre pai e filho desde a gravidez

Ter a presença do pai no pré-natal não é importante apenas para a gestante, mas também para o bebê. Pois mesmo ainda dentro do útero, a criança ouve e sente estímulos externos. Portando, a presença paterna no pré-natal é muito importante para já ir criando um laço afetivo com o filho(a). Outra forma de ir criando este laço é conversando com o bebê, fazer carinho na barriga e até cantar é uma boa ideia. Participar desse período também ajuda o homem a ir aos poucos entendendo a  sua nova função de pai. Até porque, ninguém se torna pai da noite para o dia, é necessário construir essa identidade em si mesmo.

Como o pai pode ajudar no pré-natal?

Exitem várias formas do companheiro dar suporte a gestante. Dentre elas, a mais conhecida é acompanhando-a durante o pré-parto e parto. No entanto a psicóloga Isis Pupo alerta, que caso o pai entre em pânico só de pensar em entrar na sala do parto, é melhor não forçá-lo. Pois iria mais atrapalhar do que ajudar. Uma das principais formas de ser um apoio para a gestante é sendo compreensivo com as mudanças de humor dela. Por conta da gravidez, a mulher sofre grandes oscilações de humor e muitas vezes nem ela mesma se entende direito. Logo, é muito positivo quando o parceiro a acolhe e está presente para ser seu confidente. Mas ninguém é de ferro, por isso, é muito importante que o pai também tenha seus próprios parceiros de desabafos. Pois se ele estiver estressado, as coisas ficarão muito complicadas enter ele e a gestante. Em resumo, pode-se dizer que os melhores apoios são: ser presente e ser compreensivo.

Relato de um pai

Conversando um pouco com o Daniel, esposo da Carol, (que escreve a Coluna da Carol aqui na Lá Vem Bebê sobre a experiência de ser mãe) ele nos contou um pouco como foi o pré-natal da sua filha. Ele contou um pouco de como foi a relação dele com a Alice, filhinha deles, ainda na barriga: “Conversava muito também com ela na barriga. Catava pra ela.” Ele compartilha que acompanhou a esposa em todas as consultas médicas. Já sobre o parto, Daniel contou que esteve com a Carol desde a espera até a hora do parto, segurando sua mão e que pôde ver também o nascimento da filha. “Eu vi saindo o cabelinho e tudo mais, foi bem top”. Infelizmente não foi um parto tranquilo, e a Alice teve que ir pra UTI. Mas hoje, está saudável e até dorme sozinha!

Antes de pai, companheiro

Durante a gravidez, a mulher se sente menos atraente e sua auto estima fica muito baixa. Por isso é sempre bom lembrar que antes de pai, ele é companheiro de sua mulher. Pois segundo o psicanalista Francisco Daudt “Antes de ser pai, ele é homem. E ela, antes de ser mãe, é sua mulher. Assim ele será melhor pai, ela será melhor mãe e juntos continuarão a ser um bom casal”. Por causa da instabilidade emocional, a mulher fica muito irritadiça, sofre com mudança de humor bruscas além de se sentir menos atraente. Por isso, é muito positivo que o parceiro a faça se sentir mulher. Elogios como “você é lida grávida” são muito bem vindos.

Companheiro na preparação

Como parceiro da gestante, algo realmente bom é estar presente e ser pró-ativo na montagem do enxoval e no chá de bebê também. Aproveite estes momentos para aliviar o peso e pressão que a grávida possa estar sentindo. Além de, dessa forma, curtir este momento tão único e especia da vida. Certamente renderão ótimas memórias e histórias para você relembrarem no futuro. Viver uma gravidez não é só algo para a gestante, o parceiro também tem grande parte nisto tudo. Seja presente e se inclua nesta maravilhosa, mas estressante, jornada chamada gravidez.

Gostou deste artigo? Mande ele para seu amigo que logo vai ser pai e está perdido! Se você é pai e já viveu tudo isso, compartilhe conosco a sua experiência.

Loja Lá Vem Bebê

Logo Lá Vem Bebê