grávida pode viajar de avião

Grávida pode viajar de avião? Tire suas dúvidas!

Afinal, grávida pode viajar de avião? Dependendo da saúde da mamãe e das condições da gestação, esse tipo de deslocamento geralmente não oferece riscos para o bebê, mas alguns cuidados precisam ser tomados. Neste artigo, você vai tirar suas principais dúvidas sobre assunto e conhecer algumas dicas para tornar a viagem mais confortável. Confira!

Grávida pode viajar de avião a qualquer momento?

A resposta está dividida em duas partes: depende da autorização do seu obstetra e das regras de cada companhia aérea.

Normalmente, os médicos recomendam que viagens mais longas sejam evitadas no primeiro trimestre, devido ao aumento da pressão e diminuição do oxigênio durante o voo, que podem causar aborto espontâneo.

Até a 27ª semana de gestação, as empresas aéreas não impõem nenhuma restrição para as gravidinhas durante as viagens. Se estiver entre 28 a 36 semanas de gestação, a mamãe deverá apresentar um atestado médico, confirmando seu estado de saúde e o do bebê.

Acima de 36 semanas, a viagem só costuma ser permitida após o preenchimento e aprovação de um formulário médico (MEDIF), que é fornecido pela companhia aérea e sujeito a aprovação antes do embarque.

Qual o melhor lugar do avião para gestantes? Tenho direito a assento extra?

Na opinião da maioria das mamães que fizeram algum tipo de viagem, é preferível sentar nos assentos das primeiras fileiras e, de preferência, próximos ao corredor. Isso facilita bastante para caminhar durante o voo, ou mesmo ir ao banheiro.

A maioria das companhias aéreas não disponibilizam assento extra gratuitamente, mas todas elas oferecem serviço preferencial, o que já ajuda bastante. Basta informar no check-in que está grávida!

Em alguns casos, a própria companhia já reserva um assento especial para grávidas, mas não há garantia que isso vá acontecer.

 

Leia também:

 

Como lidar com o ar-condicionado?

Primeiramente, peça ao médico indicação de um soro umidificador nasal, já que um dos maiores incômodos do ar condicionado é o ressecamento provocado nas mucosas.

Vale ressaltar: não use nada sem a permissão de seu médico. Mesmo esse soro deve ser autorizado e receitado por ele.

Outro desconforto possível é a temperatura. Leve sempre um casaco de mão e um par de meias dentro da bolsa — isso pode ajudar bastante caso o ambiente fique muito frio.

Quais os riscos da pressurização?

A pressurização é o outro motivo de ansiedade entre as mamães: a diferença de pressão costuma causar problemas circulatórios, acúmulo de fluidos e inchaço, por isso existem muitas dúvidas se grávida pode viajar de avião. Para diminuir os problemas, converse com seu especialista sobre o uso de meias compressoras para ajudar na circulação.

Algumas gestantes chegam a tomar medicamentos para diminuir o risco de trombose, um dos principais riscos das viagens mais longas, com mais de quatro horas.

A trombose venosa profunda (TVP) pode acontecer caso a pessoa fique muito tempo sem movimentar os membros inferiores, levando o sangue a formar pequenos coágulos que “viajam” pelo corpo. O perigo maior é quando eles chegam aos pulmões, podendo causar embolia pulmonar — quadro bastante grave que deve ser avaliado imediatamente.

E se meu bebê quiser nascer no avião?

Partos durante viagens de avião já aconteceram mais de uma vez ao redor do mundo. Em 2016 uma menina nasceu durante um voo para Dubai. O parto foi prematuro, mas tanto ela quanto a mamãe ficaram bem.

Aqui no Brasil, em 2007, uma mulher de 20 anos deu à luz a uma pequena durante um voo no Pará. O parto foi feito por um médico que estava a bordo. Ele contou com ajuda de uma enfermeira, que era tripulante, e das comissárias de bordo.

Quando um bebê nasce dentro do avião, as regras sobre a sua nacionalidade podem variar de acordo com o país. Alguns levam em consideração o país sobre o qual o avião passava no momento do parto. Outros, pela nacionalidade da companhia aérea.

Para os brasileiros, a orientação varia. Pode acompanhar as regras do país no qual o avião sobrevoava no momento do parto, ou contar com a nacionalidade brasileira. Vale lembrar, que assim que o avião pousar, os papais devem ir até um consulado do Brasil para registrar seu pequeno e confirmar sua nacionalidade.

Como posso fazer uma viagem mais confortável?

Grávida pode viajar de avião sempre se seguir as recomendações médicas, mas algumas dicas também ajudam a garantir uma viagem ainda mais tranquila:

Andar a cada 30 minutos: dar uma volta no avião ajuda a estimular a circulação das pernas. Isso diminui o desconforto, o inchaço e diminui o risco de tromboses.

Levar as anotações da gravidez: não esqueça o seu cartão de gestante ou qualquer documento que contenha as informações da sua gestação, para orientar possíveis emergências a bordo.

Usar roupas confortáveis: independentemente do tempo de voo, vista roupas confortáveis e não se esqueça de levar um casaco de mão. Para as mamães, um cós apertado pode ser uma pedra no sapato.

Hidratação: tome bastante água. Manter-se hidratada durante o voo é essencial para a mamãe.

Agora que você já sabe como uma grávida pode viajar de avião sem ter grandes problemas, que tal fazer as comprinhas do seu filho no exterior? Clique e confira: Fazer o enxoval do bebê nos EUA vale a pena?