coisas de bebê

Coisas de bebê: 6 dicas antes de ir às compras

Na internet não falta conteúdo sobre como lidar com a rotina da maternidade, mas, diante de tantas informações, a mamãe pode ficar naturalmente, confusa. Que coisas de bebê que comprar? Prioridades apenas? E os mimos, as fofuras? Como ter certeza sobre a segurança e a qualidade dos produtos? Quais as melhores marcas?

As perguntas são intermináveis e nós respondemos algumas das principais dúvidas neste post reunindo 6 cuidados que você precisa ter antes de ir às compras para o seu pequeno ou pequena. Confira!

Amazon
Amazon

1. Aprenda a filtrar as opiniões

Com certeza você vai ouvir muitas opiniões dos familiares e amigos. Afinal, as pessoas desejam ajudar, e quem já passou pela maravilhosa experiência de ter um ou mais filhos pode mencionar que coisas de bebê deram certo e o que poderia ser evitado na hora de comprar um enxoval.

Toda ajuda é bem-vinda, mas filtrar os conselhos também é importante: afinal, nem todas as mamães nem os bebês são iguais aos outros, cada um terá suas necessidades e preferências. Como certamente haverá muitos padrões de comparação, determine os critérios que façam sentido para você e baseie suas escolhas a partir deles.

2. Não exagere nas roupas

O ritmo de crescimento dos bebês é muito rápido, por isso não convém fazer um grande estoque no primeiro ano de vida: você pode perder boa parte das peças. No início, priorize peças práticas.

Por exemplo: macacões de abertura frontal são mais fáceis de se abrir, seja com botões ou zíper. Você verá como isso fará diferença às 4:00 horas da manhã durante a troca de fraldas!

Além disso, a pele dos bebês é bastante sensível, então vale escolher tecidos hipoalergênicos e evitar modelos com muitos adereços que podem causar irritações.

Claro que, vez ou outra, você vai ser tentada a colocar aquele vestidinho maravilhoso na sua filha, ou um terninho mais chique no seu filho. Não tem problema, desde que seja de vez em quando e por um curto período de tempo. Aproveite essa fase!

Leia também: Roupas de bebê de 0 a 1 ano: 14 dicas para acertar nas escolhas

3. Coisas de bebê na alimentação

A fase de introdução alimentar é muito importante para o desenvolvimento: nesse momento, a criança inicia um relacionamento saudável com a comida utilizando todos os seus sentidos: visão, olfato, tato e paladar. Então, vale muito a pena investir em coisas de bebê que possam tornar a hora do lanche uma experiência mais agradável e confortável.

Para começar, opte por colheres menores, como colheres de chá. À medida que a criança for crescendo, já pode adotar versões maiores e mais fundas.

Além de cumbucas coloridas para servir, potinhos com tampa também são uma ótima pedida: eles vão tornar muito mais prática a gestão das papinhas congeladas — sempre melhores que as industrializadas.

Atente-se para a escolha dos materiais: preferencialmente, esses recipientes de plástico devem ser livres de Bisfenol A, uma substância cancerígena presente em boa parte dos materiais que utilizamos. Você saberá essa informação se a embalagem indicar um produto “BPA Free”.

Ah, vale lembrar: sempre esterilize os materiais que irá usar. A higienização e pratos, colheres, bicos e mamadeiras é importantíssima. Se for negligenciada, pode acabar virando porta de entrada para o famoso “sapinho”, caracterizado por um pontilhado branco, parecendo grumos de leite coalhado, que fica na língua e na face interna das bochechas, dói e impede a criança de sugar o seio ou a mamadeira.

Para fazer esse processo, ferva os itens todos os dias durante uns 10 minutos e mantenha-os guardado em ambientes protegidos. Uma boa tática é adquirir um esterilizador de micro-ondas, que facilita bastante essa tarefa.

4. Farmacinha

Provavelmente você vai precisar de pomadas para assaduras e remédios para cólica, febre e dermatite, ocorrências muito comuns em recém-nascidos. Ter sua própria farmacinha com coisas de bebê sempre à mão é fundamental, mas peça ao seu pediatra autorização para todos os itens do kit. Não abra mão dessa orientação.

Pomadas de assadura possuem efeito preventivo e também curativo. Devem ser aplicadas em camadas generosas para formar uma barreira de proteção, mas não utilize nenhuma versão que contenha nistatina ou outro antifúngico, corticoides ou antibióticos, pois estes servem para tratar doenças de pele, devendo ser recomendadas pelo pediatra apenas se necessário.

 

Leia também:

 

5. Cosméticos

Como já dissemos, a pele do bebê é bastante sensível e só admite substâncias mais neutras, podendo ter alergia até mesmo a fraldas. Por isso, resista à tentação de um closet cheio de coisas de bebê especiais e foque nas reais necessidades da criança.

A limpeza do bumbum após a troca de fralda, por exemplo, deve ser feita suavemente, sem esfregar, sempre de frente para trás, apenas com algodão, água morna e sabão infantil. Lenços umedecidos sem álcool nem fragrância podem ser usados esporadicamente, mas é sempre melhor evitá-los.

6. Brinquedos

Não se engane: além de dormir, acordar, mamar e comer, o bebê recém-nascido também adora brincar! Brinquedos são essenciais para o seu desenvolvimento, mas é preciso ter muito cuidado: itens com peças pequenas acopladas são terminantemente proibidos, pois elas podem se desprender e o bebê corre um sério risco de engolir e se engasgar.

Por isso, sempre compre produtos aprovados pelo INMETRO e em lojas de confiança, sempre respeitando a faixa etária recomendada para cada um.

E você, tem mais alguma dica para orientar a compra de coisas de bebê? Deixe um comentário e ajude a enriquecer este conteúdo!

 

Loja Lá Vem Bebê

Logo Lá Vem Bebê