exame de sangue para saber síndrome de down

Pré-natal: 4 exames para gestantes que você precisa fazer

Toda mulher conhece bem o Beta HCG, famoso teste que confirma a gravidez. Quando o resultado é positivo, ele se torna o primeiro de muitos outros exames para gestantes que estão a caminho.

Ao longo dessa jornada, um pré-natal bem conduzido, com um profissional dedicado, carinhoso e competente será vital para garantir a boa evolução da gestação e proporcionar condições saudáveis ao desenvolvimento do bebê.

Nesse sentido, é muito importante conhecer bem as rotinas e os propósitos do pré-natal. Esse cuidado permitirá que você desfrute da gravidez com mais tranquilidade, aliviando seus medos e protegendo-se de informações equivocadas.

Confira neste guia alguns exames para gestantes obrigatórios do período — lembrando que a necessidade de exames adicionais será analisada caso a caso pelo seu obstetra.

1. Exame de sangue

exame de sangue para saber o sexo do bebê

O exame de sangue pode ser repetido várias vezes ao longo da gestação, mas deve ser solicitado pelo menos uma vez por trimestre. Em geral, ele deve investigar as condições do organismo da mamãe no que diz respeito a:

Hormônios: dosagem de hormônios e anticorpos da tireoide, cujo desequilíbrio sinaliza risco de aborto espontâneo.

Estimativa de hemoglobina: ajuda a detectar deficiências de ferro. Deve ser repetido dentro de intervalos definidos.

Teste de grupo sanguíneo: determina a qual grupo seu sangue pertence (A, B, O e Rh). Se você tiver um Rh negativo, a sua gravidez é especial e algumas precauções podem ser necessárias.

VDRL: é um exame para gestantes designado para detectar qualquer evidência de uma doença sexualmente transmissível que possa afetar o bebê se não tratada antes de vinte semanas de gravidez. É rotineiramente prescrito pelos obstetras e, caso apresente um resultado positivo, deve ser refeito antes de iniciar qualquer tratamento.

Exame de glicemia pós-prandial: ajuda a detectar a diabetes. Deve ser realizado duas horas após uma refeição regular.

Anticorpos: para definir se a mamãe corre ou não o risco de contrair doenças como rubéola, citomegalovirose e toxoplasmose, que aumentam a chance de uma gravidez de risco.

Pesquisa de trombofilias congênitas: essencial para prevenir o trabalho de parto prematuro e alertar para doenças hipertensivas da gestação, como pré-eclâmpsia e help síndrome, que podem causar óbito fetal.

2. Exame de urina

Na mesma frequência do exame de sangue, o exame de urina deve ser feito para investigar os seguintes fatores:

Proteínas: podem ser detectadas em caso de infecção urinária. A presença de proteínas na urina associada à pressão alta indica uma condição chamada pré-eclâmpsia, que exige cuidados especiais.

Células inflamadas: se encontradas, indicam algum tipo de infecção que pode prejudicar a gravidez.

Açúcar: se aparecer em mais de duas ocasiões, então um exame completo de glicemia é feito para descartar a hipótese de diabetes gestacional.

Quando coletar uma amostra de urina, assegure-se de que ela esteja no meio do fluxo, ou seja, comece a coletar alguns segundos após começar a urinar. O coletor deve estar limpo e intocado na parte interna. Evite lavar-se com sabonete ou antisséptico antes da coleta.

3. Exame de fezes

Serve para detectar verminoses no intestino, parasitas que podem provocar anemia na mãe. Geralmente é solicitado na primeira consulta e não precisa ser repetido, a menos que o médico julgue necessário.

 

Leia também:

 

4. Ultrassonografias

Sexo do bebê: ultrassom obstétrico e seus truques

A ultrassonografia é um dos principais companheiros da sua gestação e permite acompanhar o estágio de desenvolvimento do bebê mês a mês. É um procedimento seguro, indolor e não invasivo, no qual ondas de ultrassom (ondas sonoras com uma frequência acima da que pode ser captada pelos ouvidos humanos) são transmitidas ao corpo da mamãe.

Conforme essas ondas se refletem nas superfícies internas, são captadas por um receptor e convertidas em imagens em uma tela de TV. Para você, tudo parecerá apenas um borrão confuso em preto e branco, mas os olhos treinados de um radiologista ou do seu obstetra serão capazes de interpretar as informações valiosas à disposição.

Existem algumas variações desse exame, que estarão presentes em fases específicas da gravidez:

Ultrassom transvaginal: Normalmente realizado pela primeira vez por volta da quinta semana. A análise por via transvaginal facilita a visualização do feto, que tem apenas 5 milímetros.

Ultrassom morfológico: Mais detalhado, esse exame investiga toda a estrutura do feto e formação dos órgãos, bem como riscos de doenças genéticas. É realizado pela primeira vez entre 11 e 14 semanas, e repetido entre a 20ª e a 24ª semana.

Lembre-se também que, ao realizar exames para gestantes, sua ausência no trabalho pode ser abonada com a declaração de comparecimento, apresentada à sua chefia. Procedendo assim, a sua falta estará sempre justificada para que você possa garantir sua segurança e a do bebê.

Gostou dessas dicas? Deixe um comentário e compartilhe com a gente suas experiências do pré-natal para ajudar outras mamães!

Pré-natal: 4 exames para gestantes que você precisa fazer
Avalie este post