escolha do médico na gestação

Como fazer a escolha do médico na gestação?

Essa dúvida é muito frequente, principalmente, entre as mamães de primeira viagem. A escolha do médico na gestação é um passo muito importante, que deve ser feito de modo imediato, logo após a descoberta do teste positivo de gravidez. O profissional vai ser responsável por fazer o seu acompanhamento durante toda a gestação e por analisar a desenvoltura, dia após dia, de seu bebê. Algumas questões são determinantes na hora da seleção: a confiança e a segurança no obstetra é fundamental.

A preparação para o pré-natal acontece a partir da escolha do médico na gestação. O profissional dedicado e especializado na área destinada à gravidez e partos, em obstetrícia, e, em sua maioria, em ginecologia também, vai ter um papel primordial na organização de sua gestação. Ele vai passar uma série de exames a serem feitos, que são específicos durante cada mês, além de fazer de verificação da evolução de seu bebê

Organizar um pré-natal requer dedicação e determinação com o cronograma de tarefas mensais. Toda mulher grávida sabe que grande parte de seus compromissos em sua agenda pessoal são associados às idas aos consultórios e aos laboratórios. A maratona de exames rotineiros devem fazer parte do seu calendário. Estar grávida requer cuidados especiais com a saúde da mãe e com a saúde de seu pacotinho que está pode vir.

Confiança no médico, indicação, referências, profissionalismo. Essas e diversas outras questões devem ser levadas em conta ao fazer a escolha do médico na gestação. De modo genérico, a futura mãe e o futuro pai do bebê devem se sentir à vontade com o profissional, para que, dessa maneira, a relação entre médico e pacientes seja a mais íntima e acolhedora possível.

Para ajudar as mamães a tomarem esse passo importante, da escolha do médico na gestação, separamos algumas diretrizes que podem ser levadas em consideração durante essa etapa. Dedicamos também um tópico especializado somente à frequência de visitas aos consultórios médicos, ao ter em mente a sua extrema importância para um período gestacional sadio.

Ao longo do artigo, você vai encontrar encontrar algumas dicas que podem facilitar na seleção do profissional mais indicado para fazer o seu acompanhamento durante a gestação. Boa leitura!  

Tenha confiança no profissional

Uma questão é certa: ter confiança e segurança no profissional, que vai fazer o seu acompanhando durante os nove meses de gestação, é fundamental. Por isso, são válidas as visitas aos consultório, as conversas com os médicos, a produção de um plano de gestação. A mãe precisa se sentir confortável para dizer sobre suas queixas, de modo a se sentir totalmente à vontade com o profissional.

O ideal é que a relação entre médico e paciente seja a mais humana possível. Pode ter certeza que serão inúmeras as vezes que a gestante vai precisar a ir ao consultório para verificar o desenvolvimento do bebê na barriga e, quando vínculos são criados entre a mão e o obstetra, essa relação se torna mais próxima e amigável.

Procure boas referências

As pesquisas podem ajudar os pais a escolherem o obstetra ideal para fazer o acompanhamento do seu bebê. Uma dica é usar a internet para fazer buscas: saiba em qual universidade o profissional, que você está de olho, se formou; se participa de congressos; se está se atualizando em meio à sua profissão.

Um outro viés para começar a pesquisa é ter já em mente certos direcionamentos, como por exemplo o tipo de parto a ser feito. Diversos profissionais seguem linhas específicas — como especializados em partos normal, humanizado ou cesáreas. 

Busque por indicações

Uma outra forma, que pode ajudar na escolha do profissional, é famosa pesquisa boca a boca, conhecida pela famosa indicação. Pergunte para suas amigas grávidas, colegas, primas, tias, ou até mesmo pesquise na internet indicações de mulheres grávidas e pergunte sobre seus médicos. 

Qualquer informação é útil: lembre-se que todas as opções são válidas, caso os pais ainda não tenham um direcionamento definido.

Após ter uma lista de médicos indicados, o ideal é que seja feita uma triagem e, a partir disso, uma análise de qual melhor se encaixa no perfil esperado que os pais procuram. Depois, é só agendar consultas para conhecer os profissionais e tomar a decisão do sim ou do não.

Considere médicos conveniados e particulares

Em um primeiro momento, você pode optar por selecionar um médico obstetra que está na lista de seu convênio. Principalmente, durante os estágios iniciais da gestação ou logo após ter em mãos o teste de gravidez positivo. É importante que a ida seja imediata a um médico especializado. Dessa forma, se ainda não tiver nenhum tipo de indicação ou referência, escolha um para que você consiga fazer, pelo menos, os exames iniciais.

Depois disso, faça visitas até você achar o obstetra ideal. Caso a mãe não tem um convênio ou prefira usar o reembolso para poder conhecer outros profissionais, vale ainda o critério da indicação de alguma conhecida ou ter referência.

É interessante a mãe fazer pesquisas antes de definir o quem será o seu próprio obstetra.Outro ponto que pode influenciar na decisão é o valor: quanto mais renomado o médico, mais caro será o seu trabalho. Porém, isso não deve ser um problema. Tudo é questão de conversa: negocie, divida o pagamento, peça um prazo maior para pagar, faça pacotes.

Troque de obstetra em caso de necessidade

É normal a mãe ir em uma consulta com determinado médico e não se sentir à vontade ou não ter criado uma conexão com o profissional. O segredo é não desanimar! Ela deve tentar buscar outros médicos, agendar consultas, fazer visitas aos consultórios e não desistir da procura. Por vezes, pode até acontecer uma troca de médico no meio do caminho ou, até mesmo, do encaminhamento para outro profissional. 

Leve em consideração que trocar de médico é um direito dos pais. Ou seja, em caso de expectativas geradas não serem supridas ou falta de sintonia com o obstetra, torna-se totalmente aceitável a mudança de profissional. 

Falta de clareza dos profissionais, a não solicitação de determinados exames e o desencontro sobre o tipo de parto — como por exemplo, o médico se recusar a fazer um parto normal — são os principais motivos que podem levar os pais a optarem pela troca de médico.

Também é importante os pais terem estruturado o que desejam. Preferências quanto estão dispostos a pagar, em casos de consultas particulares, ou sobre o tipo de parto, por exemplo, são essenciais para direcionar na escolha do médico. De nada vale optar por ter um parto em casa, se o profissional nunca teve essa experiência.

Faça visitas ao consultório médico com frequência

O Ministério da Saúde recomenda que uma mulher grávida visite, pelo menos, seis vezes o médico antes de dar à luz. Ou seja, a ida aos médicos devem ter uma frequência alta, visto que saber como bebê está evoluindo, é uma maneira de assegurar sobre a checagem de sua saúde dentro da barriga, como também um modo de verificar eventuais problemas antecipadamente.

Por outro lado, muitos médicos recomendam que as visitas ao consultório seja feito de modo mais frequente, com o intuito do profissional fazer um acompanhamento mais individualizado. Dessa forma, é possível direcionar cada etapa de desenvolvimento do bebê, solicitar exames mais detalhados e que atendam à necessidade da mãe. Além disso, essa é uma forma da futura mamãe criar vínculos mais afetivos com o seu médico, de modo a oferecer mais conforto para as gestantes, principalmente, aquelas de primeira viagem.

Para concluir…

Todas as mães querem passar pela gravidez sem grandes complicações, não é mesmo? Para que a gestação aconteça da melhor forma possível, é preciso que os pais, em um primeiro momento, tomem a decisão importante de escolher quem irá fazer o acompanhamento de seu bebê durante a toda a gestação. 

De modo geral, podemos dizer que fazer a escolha do médico é um passo importante. Quando o assunto é a saúde da mãe e do bebê, é necessário fazer a busca por um profissional —  no caso, um obstetra —  confiável e que atue com profissionalismo. 

Alguns aspectos que ajudam na decisão da seleção do obstetra ideal são: buscar informações, ter referências, sentir-se segura durante as visitas ao consultório, procurar indicações, fazer pesquisas, entres outras.

Depois de todas essas dicas sobre como fazer a melhor escolha do médico na gestação, acredito que você já esteja pronta para dar esse passo. Vale lembrar que a gestação é um período mágico e único para mulher. Por conta disso, é preciso tem em mente que, cada decisão tomada, deve ser bem planejada, para que tudo saia da melhor forma possível.

Agora é a sua vez de escolher o obstetra ideal! Lembre-se: sentir-se confiante e segura com o médico é fundamental.

Se você gosta desse tipo de conteúdo e quer se manter atualizada sobre o universo da maternidade, nos acompanhe nas redes sociais. Postamos conteúdos fresquinhos a cada dia na nossa página do Instagram e do Facebook. Esperamos você por lá! 

 

Logo Lá Vem Bebê