“Agora você vai ter que comer por dois!”. Toda gravidinha ouve esta frase em algum momento da gestação.

E, por mais que pareça ter um fundo de verdade, essa frase é um grande mito.

É claro que a mamãe precisa se preocupar com a sua alimentação- que é essencial para um perfeito desenvolvimento do bebê. Mas isso não significa aumentar a quantidade de comida, mas sim investir na qualidade de cada refeição.

E como começar?

O mais importante é ficar atenta aos nutrientes que você ingere durante todo o dia. Buscar uma alimentação mais saudável, incluindo mais frutas, legumes e verduras no seu cardápio do dia a dia já é um ótimo começo!

Durante a consulta do pré-natal converse com o obstetra a respeito da sua alimentação. Na maioria das vezes, ele vai indicar, dentro do que você já come, os alimentos que devem ser privilegiados.

O que é a alimentação saudável?

Quando a mamãe ouve “alimentação saudável” pode achar que está diante de um desafio intransponível.

Acredita-se que a alimentação saudável é restritiva, o que não é verdade!

É claro que durante a gravidez alguns alimentos devem ser evitados (vamos falar deles mais adiante) mas não significa que a mamãe terá que fazer uma mudança radical na dieta.

O importante é pensar na nutrição do seu bebê: ele tem necessidades bastante específicas para que possa se desenvolver de maneira saudável e perfeita. A ingestão de vitaminas, proteínas e ferro deve ser cotidiana.

Colocar mais “cores” no seu prato já ajuda bastante!

Os nutricionistas recomendam um prato com pelo menos cinco cores diferentes- cada alimento possui uma quantidade diferente de nutrientes, por isso é tão importante variar.

Mas quanto eu posso engordar?

Esta é uma pergunta bastante controversa. A maioria dos médicos recomenda que a gestante ganhe até 1 kg por mês durante o período gestacional.

Mas o importante é se alimentar bem, mas sem culpas.

Bateu aquela vontade de comer um doce? Desde que ele não se torne seu almoço, está liberado! A gravidez é um momento delicioso e deve ser aproveitado com alegria!

 

Refeições equilibradas

Durante a gestação, o apetite da mamãe vai variar bastante. No primeiro trimestre, a tendência é que o apetite esteja menor, principalmente quando há os tradicionais enjôos. Mas a partir do terceiro mês, a “fome de leão” costuma aparecer! Para mantê-la sob controle, uma dica de ouro: faça pequenas refeições durante todo o dia. Comer uma fruta, tomar um iogurte, uma vitamina… Já vai ajudar bastante! Assim, você vai manter a sua saciedade e não vai chegar a cada refeição como se o mundo fosse acabar!

A fominha da madrugada

Muitas mamães dizem sentir muita fome à noite, principalmente durante a madrugada. E, ao invés de atacar a geladeira, um truque é deixar pequenas porções de castanhas ou de frutas já cortadas bem à mão.

Essa pequena porção já vai garantir que você volte a dormir tranquila.

Consumo correto- e moderado

Alguns alimentos são contra indicados durante o período da gestação. Mas lembre-se sempre de consultar seu médico antes de colocar ou retirar qualquer item da sua rotina alimentar.

Conheça alguns deles:

  • Café – a cafeína pode contribuir para um aumento da pressão arterial durante a gravidez. A maioria dos médicos recomenda uma diminuição na quantidade diária.
  • Peixes – A recomendação de que as gravidinhas não devem comer peixes não é totalmente verdade. A regra é válida para os peixes que são servidos crus, por poderem ter alguma concentração de mercúrio ou outras bactérias. O erro é que os peixes são altamente recomendados durante a gestação- desde que estejam bem cozidos e que tenham boa procedência.
  • Chás – O uso de chás não é muito aconselhável na maioria das vezes, por algumas plantas serem perigosas para a gravidez. Porém, o chá de camomila e o de erva cidreira são muito indicados para ajudar na produção de leite. Mas não deixe de conversar com seu médico antes de consumir qualquer tipo de chá.
  • Ovos – Ovos crus ou receitas que não cozinham os ovos também devem ser evitadas. O ideal é que as massas de bolos e tortas estejam bem assadas, e que o consumo de maioneses e doces que levem a mistura sejam evitados.
  • Carnes – A restrição se refere ao ponto da carne e não ao tipo de carne. Grávidas devem evitar o consumo de qualquer tipo de carne malpassada ou malcozida.

Suplementos

Fora o ácido fólico, que deve ser ingerido durante os 3 primeiros meses de gestação, nenhum outro complemento normalmente deve ser utilizado pelas gravidinhas. O ácido fólico, inclusive, é recomendado antes mesmo da gravidez, quando a mamãe ainda é uma tentante.

A ingestão de suplementos vitamínicos durante a gravidez só deve ser feita com a recomendação do seu médico. Nada de se automedicar (mesmo com vitaminas)! Pode ser perigoso para você e para o seu bebê.

Seu especialista vai indicar qual a melhor forma de suplementação para a mamãe – e apenas em caso de necessidade.

Hidratação

Além da alimentação, manter a hidratação também é essencial. E a mamãe pode aliar as duas coisas!

Para os dias de calor, que tal um picolé de frutas com água de coco? Basta picar as frutas, colocar em um copinho descartável, completar com água de coco e colocar no freezer. Essa dica refresca e alimenta ao mesmo tempo!

O mais importante é lembrar-se sempre: nada de dietas malucas, nada de fazer aquela receita da amiga para ingerir mais ferro… Consulte sempre seu médico! Ele é o único que pode avaliar realmente as suas necessidades – e as do seu bebê!

Ainda tem dúvidas? Vem ver esse texto sobre quantos quilos uma gestante ganha na gravidez!

 

 

 

Alimentação na gravidez: comer mais é comer melhor?
Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *