Tipos de parto, vantagens e desvantagens

Tipos de parto, qual é o melhor? Vantagens e desvantagens de cada um

Viver a gravidez é uma experiência de grandes emoções! Mas com certeza o parto é o momento mais intenso de toda esta vivência. Mas quantos tipos de partos existem? Qual deles é o melhor? Todos os tipos de parto são seguros? Decidir o tipo de parto é uma grande questão para as grávidas e seus companheiros. Mas não tema! Porque neste artigos nós vamos explicar cada um dos tipos de parto e tudo o que você precisa saber sobre cada um deles!

Por que é importante saber sobre os tipos de parto?

Antes de começarmos a falar sobre os tipos de parto de fato, talvez seja importante entender porque é importante saber sobre este assunto. Tem sido muito falado nos últimos anos sobre a importância da participação da mulher em relação a sua gestação. Sobre como é importante que a gestante seja informada de todos os detalhes e decisões médicas que foram tomadas. E uma das pautas mais defendias por este movimento é a decisão pelo tipo de parto. Por muitos anos os médicos eram os únicos que participavam da decisão do tipo de parto que seria feito, entretanto agora, com a humanização do processo gestacional, as coisas estão mudando e hoje as parturientes estão tendo mais voz nesta decisão tão importante. Mas como escolher o tipo de parto se não se conhece as diferenças, vantagens e desvantagens de cada um? Por isso se informar é de muito importante.

Tipos de parto

Finalmente então, vamos aos tipos de partos! Começando dos mais conhecidos para os menos conhecidos:

Parto normal

O parto normal também é chamado de parto vaginal. E é um dos mais tradicionais, entretanto tem perdido seu posto para o parto cesariana. Neste tipo de parto a intervenção médica costuma ser de rotina. A vantagem desse tipo de parto, em comparação com o parto cesariana, é a rápida recuperação no pós-parto, além de ser mais natural. Outra coisa positiva neste tipo de parto é o contato pele a pele entre mãe e bebê que pode ser feito logo após o parto, o que fortalece o vínculo materno além de outros benefícios para a saúde da criança que foram comprovados por pesquisas. A desvantagem no entanto é o desconforto da dor (que pode ser amenizada com medicamentos) e a não-possibilidade de agendamento do dia do parto, pois depende de quando o bebê decide nascer. Muitas vezes, no entanto, o parto pode ser induzido pela equipe médica caso se faça necessário.

Parto cesariana

O parto cesariana é uma cirurgia onde o médico abre o abdômen da gestante e retira o bebê de dentro. Ela pode ser agendada ou pode ser emergencial. A colunista Carol conta como seu parto normal acabou se encaminhando a um parto cesariana. Mas é indicado apenas em casos em que a o parto normal traz riscos à mãe e/ou ao bebê. A OMS (Organização Mundial da Saúde) publicou uma Declaração sobre as taxas de cesáreas e nela as seguintes conclusões foram colocadas:

  1. A cesárea é uma intervenção efetiva para salvar a vida de mães e bebês, porém apenas
    quando indicada por motivos médicos.
  2. Ao nível populacional, taxas de cesárea maiores que 10% não estão associadas com
    redução de mortalidade materna e neonatal.
  3. A cesárea pode causar complicações significativas e às vezes permanentes, assim como
    sequelas ou morte, especialmente em locais sem infraestrutura e/ou a capacidade de
    realizar cirurgias de forma segura e de tratar complicações pós-operatórias. Idealmente,
    uma cesárea deveria ser realizada apenas quando ela for necessária, do ponto de vista
    médico.
  4. Os esforços devem se concentrar em garantir que cesáreas sejam feitas nos casos em que
    são necessárias, em vez de buscar atingir uma taxa específica de cesáreas.
  5. Ainda não estão claros quais são os efeitos das taxas de cesáreas sobre outros desfechos
    além da mortalidade, tais como morbidade materna e perinatal, desfechos pediátricos
    e bem-estar social ou psicológico. São necessários mais estudos para entender quais são
    os efeitos imediatos e a longo prazo da cesárea sobre a saúde.

Parto na água

O parto na água é quando a gestante realiza o parto com o corpo parcialmente imerso em água com temperatura média de 37º Celsius. Por causa da água, as dores são um pouco menores e a saída do bebê também é mais suave. Entretanto é preciso tomar cuidado com a temperatura do recém-nascido, ele deve ser seco e aquecido após o nascimento.

Parto natural

O parto é quando, durante o parto, não há intervenção médica, ou seja, a equipe médica é apenas um apoio, não sendo portanto protagonista no parto. Este tipo de parto respeita o tempo do bebê e da mãe, assim como a sua dor. Mas por não ter intervenção médica a dor durante o trabalho de parto também não é anestesiada.

Parto humanizado

O parto humanizado é o parto em que a parturiente é a protagonista e a equipe médica atua apenas como suporte dela. Ou seja, ele pode ser tanto de cesárea quanto normal, depende da vontade da mulher. A principal característica do parto humanizado é o respeito à mulher, desta forma, ela deve ser informada e consultada sobre tudo o que está ocorrendo no seu parto.

Como escolher o parto ideal para mim?

Esta é uma pergunta muito difícil, cada parto é um parto. O ideal é conversar com o médico que está te acompanhando e ver se há algum risco para você e seu bebê em cada um dos tipo e decidir em conjunto. Para um parto tranquilo e sem violência, procure desde o início da gravidez, um médico que esteja aberto para conversar com você e respeitar suas vontades como parturiente. Começando com uma boa escolha de obstetra o parto ideal com certeza está mais próximo de se tornar realidade.

Gostou do texto de hoje? Compartilhe ele com aquele casal de amigos que estão “grávidos” e os ajude a escolher o tipo de parto ideal para eles. E você? Como foi o seu parto? Compartilhe aqui nos comentários para ajudar outras mamães e papai com esta escolha tão importante.

Loja Lá Vem Bebê

Logo Lá Vem Bebê