Em cada fase da gestação com seus sinais e mudanças, a vida sexual se apresentará de forma diferente
Em cada fase da gestação com seus sinais e mudanças, a vida sexual se apresentará de forma diferente

Sexo na gravidez? “Pode e deve”, mamãe. E quem diz é a psicóloga Cris Borges, especialista em sexologia humana pela USP. “A atividade sexual quando vivenciada com prazer e consentimento de ambos os parceiros, sempre traz benefícios físicos e psicológicos para quem pratica”, afirma ela.

E mais: “temos, sim, evidências científicas que a atividade sexual na gestação não só é permitida como traz benefícios para a dupla mãe e bebê”, garante Cris. Liberada (e indicada) também a masturbação, mamães, assim como o sexo oral e o sexo anal.

Não está a fim? Fique tranquila. “A mulher deve se respeitar e junto com o seu parceiro ou parceira sentir se a atividade sexual gera prazer ou ansiedade. A ambivalência – ou seja, se sentir ora o máximo, ora o mínimo; ora superpoderosa, ora impotente – é um fenômeno psicológico que permeia tanto a gestação como o puerpério.”

Você também vai gostar:

O que jamais dizer a uma mulher grávida

Sangramento de escape, o que é e porque ocorre

Oito dicas infalíveis para você arrasar em seu ensaio de gestante caseiro

À Lá Vem Bebê, Cris Borges falou tudo o que a mamãe precisa saber sobre sexo na gravidez.

Cris Borges é psicóloga, especialista em sexologia humana pela USP
Cris Borges é psicóloga, especialista em sexologia humana pela USP

Sexo na gravidez, pode?

Pode e deve! As sensações mudam pois o combustível da atividade sexual é a fantasia – e, na gestação, a cabeça fica voltada geralmente para o bebê que está sendo gerado.

Fisicamente também acontecem alguns desconfortos. No início, são comuns enjoos; no fim da gestação, a mulher fica fisicamente desconfortável.

Como fica a libido?

Na gestação, além da alteração hormonal, a mulher se ‘empodera’ por estar gerando uma vida. Também fica inundada de incertezas e inseguranças. Teme o parto, tem pensamentos diversos sobre o bebê e tudo isso influencia na sua vida sexual.

Aumentando a libido, a mulher, exceto se tiver alguma restrição ginecológica, pode e deve praticar atividade sexual. Não tendo libido,  deve buscar uma terapia perinatal para desmistificar o que pode estar a angustiando.

A autoestima e as mudanças físicas, hormonais e fisiológicas.

A gestação e o puerpério são uma transição na vida feminina, que transformará a mulher em um ser cuidador, ciente que foi capaz de gerar uma vida. A intensidade dessa mudança é tão grandiosa que às vezes ofusca um pouco a vida sexual.

A mulher deve se respeitar e junto com o seu parceiro ou parceira sentir se a atividade sexual gera prazer ou ansiedade. Em cada fase da gestação com seus sinais e mudanças, a vida sexual se apresentará de forma diferente. A ambivalência – ou seja, se sentir ora o máximo, ora o mínimo; ora superpoderosa, ora impotente – é um fenômeno psicológico que permeia tanto a gestação como o puerpério.

No ato sexual, existem restrições, posições proibidas?

Não existem restrições, exceto em alguns casos que as mulheres são orientadas no acompanhamento pré-natal a não praticar atividade sexual.

Quanto às posições, o corpo conta quais são possíveis ou não. O desconforto e a dor são termômetros que sinalizam que aquela posição não está boa.

O portal UOL fez um guia superlegal com posições sexuais confortáveis para as gestantes. Confira aqui: https://goo.gl/prTJwA (link encurtado e seguro)

Resumindo: sexo na gravidez PODE e DEVE, mamães
Resumindo: sexo na gravidez PODE e DEVE, mamães

O orgasmo é diferente?

Orgasmo é orgasmo, teoricamente não muda, mas como o combustível do orgasmo é a fantasia, algumas mulheres sentem dificuldade para chegar ao orgasmo na gestação.

O sexo anal e o sexo oral estão liberados?

Sim.

A dilatação muda?

A dilatação vaginal não muda até o fim da gestação. A vagina só dilata quando o bebê for nascer.

Masturbação, pode?

Deve!

Ele pode apertar os seios?

Sim!

Não estou com vontade de sexo. Como falar isso para o(a) parceiro(a)?

Muito importante o diálogo honesto sempre. O respeito começa com a própria mulher, que deve se respeitar e mostrar que deve ser respeitada. Às vezes no próprio diálogo a mulher se sente acolhida e pode mudar a disponibilidade para a atividade sexual.

Estou com muitas dúvidas, devo procurar uma especialista?

Obrigatoriamente a mulher deve fazer o pré-natal com um ginecologista. Também pode buscar orientação e acompanhamento psicológico perinatal se tiver dúvidas.

A gestação vivenciada com bem-estar traz inúmeros benefícios para  o casal e para o bebê.

Dúvidas ainda? Cris Borges atende no celular (12) 99791-5960.

Sexo na gravidez: tudo o que você precisa saber em 11 tópicos
Avalie este post

2 Replies to “Sexo na gravidez: tudo o que você precisa saber em 11 tópicos

  1. Oi Gente, estou fazendo uma visitinha por aqui.
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens
    Gosto muito desse tipo de conteúdo um Abraço 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *