7 informações essenciais: guardar ou não células-tronco do cordão umbilical?

Um dos principais questionamentos de grávidas e futuras mamães, atualmente, é se devem ou não armazenar as células-tronco do cordão umbilical do seu bebê. E não é para menos! O material retirado dessas células, além de dar origem a tecidos diversos do corpo humano, possibilita o tratamento de mais de 80 doenças muito comuns na nossa população, como diabetes (tipos 1 e 2), complicações pós-transplante, cirrose hepática, infarto do miocárdio, esclerose lateral amiotrófica e lesões esportivas. Cerca de outras 200 doenças estão em estudos. Se você faz parte desse grupo de mulheres, veja abaixo as principais informações sobre o procedimento.

1.Afinal, o que são células-tronco do cordão umbilical?

Têm alta capacidade de reparação e regeneração de tecidos do corpo humanos que estão prejudicados, motivo pelo qual podem ser utilizadas para o tratamento de diversas doenças.

Se você também tem interesse sobre congelamento de óvulos, não deixe de ler nosso artigo no https://lavembebe.com.br/blog/congelamento-de-ovulos-motivos/

2. Por que as células tronco do cordão umbilical?

Ele é abundante em células-tronco adultas e podem ser retiradas tanto do sangue do cordão– as denominadas células hematopoéticas (usadas para tratamento de leucemias, linfomas, imunodeficiências e transplante de medula óssea), assim como do tecido– as mesenquimais (utilizadas para tratamentos de doenças cardíacas, diabetes (tipos I e II), cirrose hepática, Alzheimer e câncer de mama).

Garantir a preservação do tecido das células-tronco do cordão umbilicalé mais estratégico, pois além da versatilidade, pode ser utilizado para o tratamento de um número maior de doenças – mesmo que muitas ainda estejam sendo pesquisadas.

3.E a coleta das células-tronco? Como é realizada?

Logo após o nascimento do bebê, em cerca de 5 minutos, de maneira segura e indolor tanto para o recém-nascido como para a gestante, em partos normais ou cesarianas. O Sangue e o tecido do cordão umbilical são extraídos, armazenados em bolsa anticoagulante e frasco estéreis apropriados e levados imediatamente ao laboratório especializado, onde as células-tronco serão isoladas e congeladas (pelo processo de criopreservação) em menos de 48 horas. A coleta das células pode ser feita tanto por empresas privadas quanto em bancos públicos.

*o transportedeve seguir as regras de segurança da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

4.Diferenças entre Banco Público e o Privado

Nos Bancos Públicos, o procedimento de retirada de células-tronco do cordão umbilical do seu bebê é gratuito e o material fica disponível para qualquer pessoa do país que tenha compatibilidade sanguínea (no sistema público, somente são armazenadascélulas-tronco do sangue do cordão umbilical – as hematopoéticas). Nos Bancos Privados, as células podem ser utilizadas somente para o próprio recém-nascido e membros de sua família.

O procedimento de coleta está atualmente em torno de R$ 3 mil reais, sendo a anuidade da manutenção de armazenamento cerca de R$ 800 reais. A maioria dos bancos privados realizam o transporte do material gratuitamente para qualquer lugar do mundo for ser utilizado (os serviços pagos estão disponíveis 24h durante todos os dias do ano, independente de feriados). Entretanto, é importante ressaltar que caso o procedimento não dê certo, algumas empresas cobram uma taxa administrativa em torno de R$ 900 reais.

**as doações para a rede pública só podem ser feitas nas 13 maternidades credenciadas naRede BrasilCord, cujo custo de armazenamento é coberto pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

5.Como as células-tronco ficam armazenadas?

, feito através da criopreservação em tanques de nitrogênio líquido a uma temperatura de -196ºC, é o que conserva a integridade do material, onde deve permanecer armazenado no laboratório especializado por tempo indeterminado (até o momento da necessidade de sua utilização).

6.E se meu bebê for prematuro?

Desde que a coleta seja feita a partir da 32ª semana de gestação, não há problemas.

Tudo o que a gestante come vai para o bebê através do cordão umbilical. Saiba o que é essencial no artigo https://lavembebe.com.br/blog/alimentacao-para-gestante/

7.Planejamento para guardar as células-tronco

Como a maioria dos hospitais não tem serviços de coleta de células-tronco (e caso você escolha por um banco privado), é importante fazer uma pesquisa minuciosa junto ao seu obstetra antes de escolher o laboratório especializado. Geralmente os profissionais do laboratório de armazenamento é que realizarão todo o procedimento da coleta. Por isso é tão importante combinar todos os detalhes antes do parto.

Sabia mais sobre outras providências que você deve tomar antes do parto: https://lavembebe.com.br/blog/preparacao-para-o-parto/

Mais de 20 mil transplantesforam realizados em todo o mundo nas últimas duas décadas usando células-tronco do cordão umbilical. Em um futuro próximo, cientistas preveem que essas células também poderão ajudar na reconstrução de órgãos.

7 informações essenciais: guardar ou não células-tronco do cordão umbilical?
Avalie este post