Vacinação em grávidas: o que mudou com a covid-19

Com a chegada da pandemia, muitas futuras mamães ficaram em dúvida de como seguiria o calendário de vacinações. A vacinação em grávidas sofreu alterações e (ufa!) inclui agora a tão esperada vacina contra a Covid-19. Vamos ver como era e o que mudou?

Vacinação em grávidas
A vacina contra a covid-19 foi incluída no calendário de imunização das gestantes (imagem: iStock)

Vacinação em grávidas: a importância da prevenção na gestação

A imunização é um dos principais cuidados para a mamãe nesse período. A imunidade adquirida com as vacinas é transmitida ao bebê e o protegerá até que ele possa receber também suas primeiras doses vacinais.

Para proteger a gestante e o bebê, algumas vacinas são essenciais para esse período. Mas atenção: para alguns imunizantes a recomendação é que a aplicação ocorra somente após o primeiro trimestre de gravidez, período em que é mais seguro para a mamãe e o bebê. Já a vacina da gripe, pode ser tomada em qualquer período da gestação.

A vacinação é segura para grávidas?

As vacinas recomendadas para gestantes apresentam altos níveis de segurança e os benefícios de se vacinar são muito maiores do que os riscos que a gestante pode correr.

Vacinas em grávidas: quando o assunto é imunização, os benefícios valem muito mais que os riscos! Na dúvida, pergunte ao seu obstetra quais vacinas você pode e deve tomar. (imagem: The Mother Baby Center)

É seguro tomar a vacina contra a Covid-29 na gravidez?

Até o momento, as análises feitas por pesquisadores apontam que a vacina contra a covid-19 é segura para a grávida e para seu bebê. Um estudo publicado pelo The Journal of the American Medical Association (JAMA), descobriu que mães vacinadas podem produzir anticorpos contra a covid-19 no leite materno. Há também casos em que a mãe transfere a imunidade para seu filho já no nascimento! Um caso como este foi relatado na Turquia – o bebê já nasceu com anticorpos após a mamãe receber as duas doses da vacina Coronavac durante a gravidez. Uma importante e esperançosa notícia!

Quais vacinas a grávida deve tomar?

A recomendação oficial de vacinas para gestantes segue também a indicação de cada obstetra. Mas são as seguintes:

  • Vacina contra a hepatite A e B: se a grávida tem alto risco de contrair a doença.
  • Vacina antigripal trivalente.
  • Tétano / difteria: só se a grávida apresentar alto risco;
  • Vacina contra a covid-19

Outras vacinas que grávidas podem tomar:

  • Vacina antigripal tetravalente
  • Vacina de Meningite ACWY
  • Vacina da Meningite B
  • vacina tríplice bacteriana acelular (difteria, tétano e coqueluche acelular)

Gestantes foram incluídas pelo Ministério da Saúde no Programa Nacional de Imunizações. Antes, somente grávidas com comorbidades poderiam se vacinar, agora todas as grávidas e puérperas devem tomar a vacina contra a covid-19.

Mas atenção, não é qualquer vacina que a futura mamãe pode tomar! A recomendação do Ministério da Saúde é que apenas os imunizantes da Pfizer e a CoronaVac podem ser aplicados, já que não possuem o vetor viral. As vacinas da AstraZeneca e Janssen não poderão ser aplicadas em gestantes e puérperas, já que utilizam vetores virais em suas composições. Outra recomendação importante é que não devem ser combinadas doses de diferentes vacinas na imunização.

Grávidas que se imunizaram com a primeira dose da vacina da AstraZeneca devem tomar a segunda dose da mesma vacina após o puerpério, que é o período de até 45 dias após parto.

Infográfico
Imagem: Governo do Brasil

Vacina em grávida X Fertilidade

Há uma hesitação por parte de algumas mulheres jovens com relação à vacinação, de acordo com o jornal Daily Mail, já que muitas ainda não são mães, mas pretendem ser. O medo da infertilidade é um das preocupações desse grupo, mas fique tranquila! De acordo com o Colégio Real de Obstetras e Ginecologistas de Londres, “não há absolutamente nenhuma evidência que sugira que essas vacinas afetem a fertilidade”. Sem desculpa para não se imunizar, certo?! \o/

Os perigos da covid-19 na gravidez

Um estudo publicado pelo Jama Pediatrics concluiu que a covid-19 na gravidez está associada a um aumento significativo na morbidade e mortalidade materna grave e complicações neonatais. Os dados obtidos com 2310 mulheres gestantes em 18 países, incluindo o Brasil, apontaram que gestantes infectadas tinham maiores taxas de resultados adversos, incluindo mortalidade materna, pré-eclâmpsia, eclâmpsia e parto prematuro, em comparação com gestantes que não tiveram covid-19.

Outro dado muito importante levantado nesse mesmo estudo é que das mulheres grávidas com covid-19, 8,4% tiveram quadros de pré-eclâmpsia ou eclâmpsia, 7,4% parto prematuro, 8,4% foram admitidas nas Unidades de Terapia Intensiva e 49% precisaram passar por uma cesárea. Já entre as mulheres sem diagnóstico de covid-19, os números foram menores: 4,4% tiveram quadros de pré-eclâmpsia ou eclâmpsia, 6,2% parto prematuro, 1,6% foram admitidas nas Unidades de Terapia Intensiva e 38,8% precisaram passar pela cirurgia cesariana.

Não dá para descuidar das vacinas na gravidez, não é mesmo? E você, já checou seu calendário de imunizações? Não se esqueça de conferir com seu obstetra as vacinas indicadas para você e o principal: não perca os prazos para vacinação!

Encontre no Elo7 itens tudo para preparar o chá de bebê, enxoval e decor do quartinho do bebê!