Cha de Bebe Online

Quais as principais mudanças na gravidez?

A gravidez é um período em que diversas mudanças ocorrem, seja no corpo da mulher, na casa, relação com o parceiro, dentre muitos aspectos que precisam se adaptar à chegada do novo membro da família.

Neste artigo, você entenderá melhor quais são essas mudanças na gravidez com relação ao corpo da mamãe, como elas impactam a vida da mulher e quais são as modificações do corporais mais notadas, além de maneiras para evitar com que certas mudanças aconteçam ou que deixem marcas.

Episódios de enjoo, azia e náuseas

Principalmente durante o primeiro trimestre da gestação, a mulher pode ter diversos episódios de náuseas e vômitos. Isso acontece porque o corpo está com uma alta concentração de estrogênio. Os episódios de enjoo acontecem principalmente pela manhã e atingem até 80% das grávidas.

Depois do segundo trimestre, os episódios começam a se tornar menos frequentes, sendo que, em média, apenas 10% das mamães continuam enjoadas após esse período. Caso os enjoos se tornem muito fortes ou demorem a passar, é importante ir até um médico para realizar os exames necessários.

Cha de Bebe Online

Em casos graves, pode ocorrer a hiperêmese gravídica em que a mamãe tem episódios de gravidez tão frequentes e fortes que a mulher não consegue se alimentar ou se hidratar corretamente.

Nesses casos, a mamãe precisa ser hospitalizada e receber seus nutrientes via intravenosa, para garantir que ela se mantenha forte e saudável e consiga prover ao bebê tudo o que é necessário para que ele cresça forte.

Aumento na produção de gases

Outro problema que aparece durante a gestação é uma maior produção de gases. Esse sintoma costuma aparecer nos primeiros três meses de formação do bebê e também durante a sua fase final.

Esses gases costumam ser bastante incômodos, seja pelo constrangimento, a depender do local em que a mamãe está, como também pode causar dores abdominais e até mesmo podem ocorrer situações de constipação.

O recomendado é que as gestantes evitem consumir alimentos que incitem a produção de gás pelo organismo, como refrigerantes, alimentos ricos em lactose. Até mesmo algumas leguminosas podem incentivar a produção de gases pelo organismo, como o feijão e a ervilha.

Caso a situação se agrave, o médico poderá receitar alguns remédios que podem diminuir os efeitos dos gases no corpo ou facilitar a sua eliminação, o que poderá evitar as dores abdominais. Entretanto, é importante que a mamãe evite se automedicar.

Hemorroidas e constipação intestinal

Por conta da alta produção de progesterona, os músculos do corpo ficam mais frouxos e relaxados, já que ele precisa se preparar para o crescimento do útero e acomodação dos demais órgãos do corpo.

Por conta dessas mudanças, o intestino acaba sendo prejudicado, já que não consegue lidar com o trânsito intestinal adequadamente, gerando assim episódios de constipação intestinal, ou como comumente é chamada: prisão de ventre.

Por conta da força extra utilizada para defecar, além do próprio peso do bebê, é comum que apareçam hemorroidas durante esse período. Elas podem ser tratadas em casa, utilizando banhos de acento com água morna.

Mas, caso ache necessário, poderá ir até um médico para verificar o tratamento mais adequado. Também é indicado ingerir alimentos ricos em fibras e que auxiliam na regulação do intestino, como iogurtes, frutas e hortaliças.

Problemas nasais

Muitas pessoas não sabem, mas o sistema respiratório também pode sofrer algumas mudanças decorridas da gravidez. Por conta do aumento do fluxo sanguíneo e das alterações hormonais, ocorrem congestionamentos no nariz e até mesmo sangramento no local.

Geralmente, não são problemas graves, além de melhorarem conforme o corpo se acostuma com a gravidez. Existem algumas técnicas que podem auxiliar a evitar ou tratar problemas nasais na gestação, como utilizar um umidificador de ar.

Outras atitudes que podem ser tomadas pela mamãe são: assoar o nariz com delicadeza, para evitar irritações no local, além de manter o rosto sempre hidratado, fazendo com que o local não resseque.

Caso a situação esteja se agravando, é importante procurar um médico para que ele indique o tratamento mais adequado, já que alguns remédios podem fazer mal para a mamãe o bebê se tomados durante a gravidez.

Mudanças na pele

Outro local que também muda bastante durante a gravidez é a pele. Um acontecimento bastante comum durante esse período é o aparecimento de melasmas, que é o surgimento de manchas escuras no rosto.

Para evitar com que elas se alastrem pelo rosto, é importante utilizar protetor solar mesmo quando estiver em casa ou em dia mais frios, já que os raios solares ainda estão presentes, além da luz artificial também causar danos à pele.

Acnes também são bem frequentes durante a gestação, por conta do aumento da oleosidade da pele. Procure lavar o rosto diariamente, além de evitar alimentos gordurosos ou ricos em açúcares.

Outras partes do corpo podem sofrer com coceira ou ressecamento, como a barriga. Nessas situações, é importante deixar a pele sempre hidratada com cremes. Nessa região também pode aparecer a chamada “linha nigra”, uma linha que vai do umbigo até o osso público, mas não se preocupe: ela sumirá sozinha após o nascimento do bebê.

Formigamento nas pernas e varizes

Algumas mamães também reclamam de ter formigamentos e varizes nas pernas. Isso ocorre por conta do aumento do peso ocasionado pelo crescimento do bebê dentro do útero, o que pode atrapalhar um pouco a circulação sanguínea nesse local.

Com isso, podem surgir os formigamentos, varizes e inflamações nas veias, com sensação de cansaço. Para evitar ou diminuir o incômodo, procure não passar muito tempo sentada.

Também procure deixar as pernas levemente levantadas enquanto descansa, além de fazer algumas pausas durante o dia para caminhar, estimulando assim a circulação sanguínea das pernas.

Se as dores e incômodos continuarem por muito tempo, procure ajuda de um médico, que poderá lhe indicar o melhor tratamento para esse local, como a utilização de meias de compressão ou aplicação de cremes.

Aumento nos seios

O aumento de tamanho e sensibilidade dos seios são um dos primeiros sintomas a serem notados durante a gravidez. Como eles serão encarregados de alimentarem o bebê nos seus primeiros anos de vida, eles precisam aumentar seu tamanho e começar a produzir leite.

Eles também terão um aspecto de mais cheios, justamente por conta da produção de leite, além da pele da região ficar mais macia. As aureolas também podem ficar mais escuras conforme o andamento da gestação.

Nas primeiras semanas as mudanças se tornarão quase imperceptíveis, mas já poderão ocorrer uma pequena sensação de formigamento, já que ocorrerá um aumento do suprimento sanguíneo na região.

A produção do colostro começa durante a 16ª semana de gestação. Apesar de nem sempre ele vazar para fora da mama, o leite já está sendo produzido para que o bebê possa se alimentar e se desenvolver de maneira saudável.

Aumento da corporatura corporal

Estima-se que o corpo da mulher sofre um aumento de 0,2 ºC a 0,4 ºC durante o período de gestação. Isso acontece porque a placenta e o bebê acabam causando mais calor, e assim, aumentando a temperatura corporal da mamãe.

Por isso, é normal que nesse período você possa sentir um pouco mais de calor, inclusive até suar mais. Porém, ainda é preciso se atentar com a temperatura corporal, já que um aumento muito grande pode significar febre, um sintoma bastante perigoso.

Uma das consequências da temperatura corporal muito alta é o aborto espontâneo, por isso, é preciso sempre monitorar a temperatura corporal, e caso note um começo de febre, precisará ir ao médico para realizar o seu devido controle.

Além disso, outra consequência da febre é que ela diminui a eficiência do sistema imunológico, fazendo com que o corpo fique mais suscetível a outras doenças, o que pode colocar em risco a saúde da mamãe e do seu bebê.

Mudanças nos cabelos

É comum que os cabelos também sofram mudanças na gravidez. Algumas mamães notaram que os seus fios ficaram mais grossos. Em outros casos, eles podem ficar mais quebradiços e secos.

O estrogênio atua prolongando o ciclo de crescimento do cabelo, fazendo com que ele fique no período de repouso por mais tempo, ou seja, ele permanece na cabeça por mais tempo do que deveria.

Por conta disso, os cabelos parecem ser mais grossos. Entretanto, assim que o bebê nasce, o ciclo de vida do cabelo volta ao normal, fazendo com que ocorra uma queda de cabelo mais do que o normal, para que os fios voltem ao normal.

De qualquer maneira, é importante cuidar bem do seu cabelo, lavando de maneira periódica aplicando hidratações caso necessário. Além disso, é possível se consultar com um dermatologista caso encontre algo anormal no couro cabeludo durante esse período.

Assim, entendendo melhor quais as mudanças na gravidez que ocorrem no corpo da mamãe, você poderá se precaver e evitar alguns desses sintomas. Sempre procure a orientação do seu obstetra ou médico para tirar dúvidas.

Que tal já começar a organizar o chá de bebê on-line e de maneira muito prática? Acesse o nosso site e veja como esse serviço funciona!