apoio psicológico

Preciso de apoio psicológico durante a gestação?

Estar grávida é um momento único, de muita felicidade e de muita realização, porém, envolve mudanças drásticas em relação ao emocional da nova mamãe e do novo papai. Dessa forma, é importante que os pais estejam prontos e preparados para encarar essa nova fase da melhor forma possível. Uma saída é optar por ter um acompanhamento e apoio psicológico durante a gestação, de modo a ser uma maneira para atenuar os grandes impactos em relação à nova rotina a ser incorporada em suas vidas.

O apoio psicológico durante a gestação pode ser visto como uma preparação para lidar com vinda do bebê. Assim, a chegada de um filho é responsável por diversas mudanças na vida de um casal e os dois precisam estar prontos para se adaptarem a essa nova rotina juntos. É importante delinear qual é o papel do pai e qual é papel da mãe durante e após o nascimento do filho, visto que cada um, agora, vai desempenhar uma função diferente.

Como forma de saber se o casal precisa, de fato, de um apoio psicológico durante a gestação, dedicamos alguns tópicos que podem ser relevantes antes de fazer essa escolha. Separamos algumas razões para quando se deve procurar ajuda de algum profissional. Assim, caso você se identifique com alguma delas, vale uma visita ao psicólogo para averiguar se você está saudável e com a mente sã nesse momento.Boa leitura!

Questionamentos à tona e sensação de insegurança

A chegada do bebê é um sonho se tornando realidade, mas ao mesmo tempo, a ansiedade vem à tona e a pressão por se tornar mãe também. Alguns questionamentos como “serei uma boa mãe?”, “vou conseguir dar tudo o que meu filho quer?”, “vou parar de trabalhar para ficar com o meu filho?”, entre outros, sempre surgem. Ao nos depararmos com eles, nos sentimos inseguras e sem saber como sair dessa.

A partir de quando toda essa cobrança começa a fazer parte do dia a dia, quando já não é possível lidar com toda essa pressão depositada em si mesma, está na hora de pedir ajuda.

O problema nasce quando alimentamos ele, e ele fica maior ainda se, a cada dia, o cultivamos cada vez mais. É importante, durante a gestação, ter pensamentos leves, felizes e otimistas. Isso é uma forma de levar ao bem estar, de modo a fazer com que exista a sensação de conforto com a nova mudança. 

Pensamentos positivos devem fazer parte não só da gravidez, mas também da vida de qualquer um. Temos que enxergar de outra maneira tudo o que está acontecendo. Afinal, quantas mães existem no mundo? Quantas mães já passaram por isso e ficou tudo bem? No final, tudo se resolve.

O melhor está por vir, e estar preparada para a chegada do novo integrante da família é o mais fundamental nessa hora.

Mesmo que a mãe e o pai ainda não estejam acostumados com essa nova ideia, principalmente quando a gestação não for planejada, é importante procurar ajuda psicológica para guiar nessa fase.

Fase da preparação

Uma questão é fato, novos papéis irão surgir, e não existe nenhum manual que diz como educar o filho, ou como cuidá-lo.

O psicólogo está preparado para tudo isso, para ouvir todas as suas angústias, todos os seus medos e quais são suas pretensões para o futuro. Ele possui uma visão diferenciada que te ajudará a lidar todas as turbulências desse momento, ainda, aponta novas perspectivas que talvez você não conseguiria perceber sozinha, por conta do medo e da forma como está vivenciando o momento.

Uma ideia é o psicólogo atender, na mesma sessão, o pai e a mãe. Assim, consegue compreender qual a real situação do casal, já que vivem sob o mesmo teto. A mãe pode se preocupar, no início, em como será o zelo com o seu filho, como será o seu papel nessa situação. Já o pai, preocupação de como arcará com as custas de um filho pode ser maior.

Em conjunto, o psicólogo pode tentar conversar com os novos pais de primeira viagem e analisar o que pode ser posto em consideração com a chegada da criança em suas vidas, bem como auxiliar a maneira de como será tudo isso depois, de forma a prepará-los como pais. Com certeza, se aceitar como novos pais e, a partir de então, ter uma visão futura sobre isso te fará a se recolocar na sociedade e fará com que tenha pensamentos novos e diferentes.

É muito importante se preocupar com a saúde mental nesse novo momento. O casal precisa estar preparado emocionalmente para o futuro.

Parto

Muitas mamães de primeira viagem, desde quando recebem a notícia que estão grávidas, ficam com o medo do parto. O parto é o momento mais emocionante da história da mãe: é o nascer de um filho e o renascer de uma mulher. Uma nova mulher nasce, mais forte, mais determinada, pronta para proteger sua cria de qualquer ameaça que possa surgir e pronta para lidar com qualquer insegurança que se possa ter. Nasce uma mulher sem medo, e com uma preocupação, apenas, a de zelo pelo seu filho. A única coisa que importa é seu bebê estar bem. O instinto materno nasce junto com o bebê.

A hora do parto, a tão sonhada “boa hora”, é de extrema importância para mãe e para o bebê. A nova mãe deve estar segura nessa hora e transmitir essa segurança seu filho. Se houver preocupações, é preciso saber até que ponto elas impedem a mãe de conseguir viver tranquilamente. Esse medo não pode atrapalhar as atividades da mãe, e nem fazer com que ela deixe de realizar seus compromissos por conta dele. Não se pode deixar que o medo tome grandes proporções e torne-se paralisante.

A dúvida do parto, qual parto escolher, é completamente normal. É um novo mundo que a mãe entra e descobre. Com certeza uma doula pode ajudar nesse processo, bem como conversar com o seu médico obstetra. Tirar todas as suas dúvidas sobre o parto te trará mais tranquilidade nesse momento inesquecível.

Desenvolvimento do bebê

Outra preocupação de muitas mamães durante a gestação é a saúde do bebê. Se a cada ultrassom se sente preocupada, com medo de saber se seu bebê está se desenvolvendo bem, se está no peso adequado, se tem uma quantidade boa de líquido amniótico, provavelmente talvez você nem esteja conseguindo realizar as tarefas do seu cotidiano sem se preocupar, ou está se preocupando até demais com o que nem deveria.

Se o seu médico obstetra falou que está tudo bem com o bebê, se a sua gestação é saudável, não é uma gestação de risco, não há com o que se preocupar. Esse medo não é normal e não deve ser tratado como tal. Talvez seja hora de procurar ajuda de um especialista.

Outras condições

Outros exemplos de condições que o apoio psicológico durante a gestação pode ser viável e benéfico são:

  1. Distúrbios de Stress e Ansiedade;
  2. Perturbações Psicossomáticas;
  3. Traumas ligados ou não às questões da maternidade, mas que estejam interferindo no seu momento de vida;
  4. Mulheres que tiveram dificuldades de engravidar ou abortos recorrentes;
  5. Histórico de depressão;
  6. Gravidez de Risco;
  7. Gestantes Adolescentes;
  8. Gestantes e mães que estejam sozinhas (pai do bebê ausente);
  9. Tristeza ou Depressão Pós-Parto;
  10. Stress Pós-Traumático, ocasionado por situações de perigo, por perdas ou parto traumático;
  11. Luto na gestação, parto ou puerpério;
  12. Gravidez não-desejada ou não planejada;
  13. Mães com dificuldades em gerir as emoções no pós-parto;
  14. Mães com dificuldades no aleitamento materno;
  15. Privação de sono crônica;
  16. Dificuldades de relacionamento e comunicação com parceiro(a) ou com familiares.

Apoio psicológico durante a gestação

Podemos dizer que o apoio psicológico durante a gestação ajudará a futura mamãe a entrar em contato com suas formas de se perceber, de perceber as pessoas à sua volta e o mundo. Observará como essas percepções influenciarão suas escolhas e seus movimentos durante a vida. Para que se possa mudar as escolhas, as relações e os comportamentos, é necessário ampliar a capacidade de fazer escolhas.

Dessa maneira, o atendimento psicológico ajuda não só a reduzir e tratar problemas mentais e emocionais dessa fase, mas oferece a oportunidade de entrar em contato profundo com quem somos e o que queremos para a nossa vida. Isso poderá transformar ativamente toda a nova realidade.

Para concluir…

Durante a gestação, a mamãe passa por uma nova fase de sua vida. Sabemos que essa não é uma mudança fácil. Apesar de existir um desejo de ter um bebê, não significa que já é sabido como lidar com ele, seja dentro da barriga ou seja fora. 

A ideia de procurar um apoio psicológico durante a gestação se torna válida e benéfica a partir de quando a mãe se torna obcecada por medo, angústias e ansiedade. Quando esses sentimentos vêm à tona, está na hora de procurar ajuda. Estar bem nesse momento da gestação é fundamental para que, no futuro, exista uma boa relação entre pai, mãe e filho.

Se você gosta desse tipo de conteúdo e quer se manter atualizada sobre o universo da maternidade, nos acompanhe nas redes sociais. Postamos conteúdos fresquinhos a cada dia na nossa página do Instagram e do Facebook. Esperamos você por lá!