O papel da doula na gravidez

O que é uma doula

Talvez você já tenha escutado esta palavra: “doula” mas não saiba o seu significado. Não se preocupe, neste texto você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre doulas. Mas antes de mais nada, é necessário saber a origem da palavra que vem do grego e significa “mulher que serve”. Esta palavra foi  usada pela primeira vez nos tempos modernos pela antropóloga Dana Raphael para descrever em seu artigo científico, as mulheres que ajudavam as mães nas Filipinas em período de amamentação. As doulas, hoje, são acompanhantes profissionais de parto e seu papel é dar suporte físico e emocional às mães e diferentemente das parteiras elas não fazem procedimentos médicos. Mas que tipo de suporte uma doula pode oferecer? Em resumo, elas fazem indicações de posições para o parto, massagens de relaxamento, orientações quanto ao que se esperar de um parto, acompanhamento durante o trabalho de parto e têm em sua filosofia o incentivo ao parto normal. Existem também coisas que as doulas não podem fazer, que é: exercer alguma atividade médica, prescrever algum medicamento e solicitar exames. Ou seja, o papel da doula é humanizar o processo de gestação, parto e pós-parto.

Porque ter uma

Além de ser sempre muito bom ter alguém te apoiando, a OMS e o ministério da saúde incentivam este tipo de acompanhamento pois muitas pesquisas apontam que com a participação de doulas o tempo em trabalho de parto é menor e a traz uma tranquilidade maior a mulher. Cada vez mais o parto humanizado é recomendado em um mundo onde o parto de cesárea ocorre em uma frequência perigosamente alta, o que contraria recomendações de órgãos de saúde internacional, além do mais, quem nunca teve dúvidas sobre aleitamento ou o pós-parto? Dessa forma, o papel da doula é informar e tranquilizar os pais, encorajando-os a tomarem decisões sobre o parto de forma consciente e humanizada. Durante o procedimento, esta profissional estará focada no bem estar emocional dos pais, enquanto a equipe médica estará concentrada na parte física da mãe e do bebê e desta forma a mulher estará mais calma e confiante para seu trabalho de parto. 

 

Como escolher uma doula

A recomendação é que se escolha a doula durante o primeiro trimestre da gestação, já que esta profissional irá acompanhar a mãe e seu companheiro antes, durante e depois do parto. É necessário procurar uma profissional que se encaixe às filosofias e princípios do casal. Algumas perguntas, como as que listamos aqui, são essenciais: 

 

  • Qual filosofia esta doula tem em relação ao parto? É a mesma que eu tenho?
  • Quantos encontros antes e quanto tempo ela estará com você no parto?
  • Quais formações ela tem na área?
  • Ela estará disponível nas datas previstas para o parto?
  • Esta doula tem uma substituta em caso de imprevistos?
  • Como funionará a remuneração? 

 

Também é importante sempre lembrar que uma doula não deverá dizer o que você deve fazer, mas sim te orientar, e sempre com embasamento científico.

 

A pergunta mais difícil, provavelmente, é onde encontrar uma doula. Existem algumas associações regionais, tais como a ADOSP (Assoiação de Doulas de São Paulo) e ADOULASRJ (Associação de Doulas do Rio de Janeiro) que têm uma lista de profissionais associadas e o contato de cada uma. Outra forma de encontrá-las é indo a grupos de apoio ao parto, pois elas costumam frequentar e aconselhar grupos assim. Também existem doulas voluntárias que podem ser encontradas em sites como Amparo Maternal. Em algumas cidades, como em São Paulo, programas de voluntariado estão começando, então logo teremos atendimento gratuito no sistema público. Além da escolha da doula é necessário prestar atenção na escolha do hospital, pois nem todos os hospitais brasileiros permitem a entrada desta profissional na hora do parto, mesmo existindo uma lei federal que reconhece a profissão e autorize sua entrada em hospitais. 

 

O pai e a doula

Talvez algumas pessoas possam ter receio desta profissão e suas profissionais por pensar que esta roubaria o papel do pai em ajudar e dar suporte a mãe, mas isso não é verdade. A doula também apoia o pai, pois muitos deles podem ficar confusos e inseguros sobre como ajudar a mulher grávida ou perdidos e com medo na hora do parto. Por isso, é função desta profissional também, orientar e aconselhar o pai. Mas que tipo de apoio a doula oferece ao pai? Ela pode por exemplo ensinar algumas formas de suporte nas posições durante o parto, pois muitas delas necessitam de ajuda física do homem para se sentir mais confortáveis e terem menos dores. É importante lembrar que não se pode impedir a entrada do pai e da doula ao mesmo tempo, pois pela lei, uma presença não substitui a outra, tanto em um hospital particular quanto no público, este também é um direito da mulher.  

 

Rejeição e discussões

Apesar de todos estes benefícios levantados aqui, as doulas ainda encontram barreiras e são temas de discussões em centros médicos. Um dos grandes problemas é que algumas doulas acabam interferindo em decisões médicas ou então acabam gerando tensões entre a gestante e o médico. Por conta de todo este problema, a presença desta profissional ainda não é tão bem vista por médicos obstetras e outros profissionais da área da saúde. Por isso o debate ainda é grande sobre até onde a vai a atuação da doula. Mas estes conflitos podem ser amenizados com um diálogo entre as partes. Recomenda-se que a mãe deixe claro ao médico que a participação da doula é importante para ela e também que a profissional saiba quais os limites de sua atuação. Espera-se que aos poucos estas duas profissões encontrem equilíbrio entre si durante a gravidez e que ao passar dos anos uma cultura de colaboração entre as partes se desenvolva.

 

Qual a sua opinião sobre esta profissão? Você já teve alguma experiência com doulas? Deixe aqui um comentário para ajudar outras mães a entenderem melhor como é essa relação entre doula e a gravidez!

 

Gostou deste texto? Confira outros temas aqui no blog também! 

Loja Lá Vem Bebê

Logo Lá Vem Bebê