Introdução Alimentar, BLW e BLISS

Seja qual for o método escolhido por você, quero lembrar que a introdução alimentar nada mais é do que a apresentação dos alimentos para o seu bebê. Nada de esperar dele boas colheradas logo de primeira, querer vê-lo de barriga cheia e satisfeito a todo custo. A introdução alimentar é mais do que se alimentar, é uma mudança brusca da forma que o seu bebê está acostumado a se alimentar: antes era líquido e agora sólido; antes aguado e doce, agora amargo, azedo e mais doce ainda; antes o bebê se alimentava horizontalmente e agora, verticalmente; antes era o aconchego da mamãe e agora um cadeirão a qual fica preso…muitas mudanças para um bebê de apenas seis meses ou menos, não?

Mas, chegou o momento tão esperado pelas mamães! Algumas mudanças e expectativas para esse momento: será que o bebê vai finalmente dormir a noite toda? O cocô vai endurecer e ficar mais fedido? Meu filho será bom de garfo? Qual método de introdução alimentar devo usar?

Calma, abaixo listo os três principais métodos usados atualmente.

Por que mexer em time que está ganhando? Você provavelmente teve a sua introdução alimentar neste modo e vai ouvir dos mais velhos algo parecido como “já deu suquinho de laranja lima?”, ou “já está tomando sopinha?”, “não coloca sal? Fica muito sem graça, na minha época colocava” entre outros palpites e conselhos.

Mas então, somos dessa geração – tradicional. Fez diferença a introdução alimentar ter sido tradicional e não BLW ou BLISS?

No método tradicional da introdução alimentar o bebê começa com suquinho de fruta, passa para fruta amassadinha ou raspada, almoço e janta em forma de sopinha, creme ou purê. Na maioria da vezes processado, amassado e peneirado.

  • O que é BLW?

BLW é uma sigla em inglês que significa Baby Led Weaning, que em tradução livre significa “desmame guiado pelo bebê”. Neste método a criança tem contato com o alimento em pedaços grandes, de forma que ela consiga manusear e a levar o alimento sozinho até a boca. É um método milenar, se não dizer que é pré-histórico. Como assim? Pois é, apesar desse método estar sendo uma modinha atualmente, comer em pedaços e com as mãos é mais antigo do que pareça. Nem preciso explicar muito sobre isso, é só lembrar que nossos antepassados, mais remotos, caçavam e se alimentavam principalmente de carne. Mesmo depois que o homem passou a desenvolver a agricultura, creio eu que na época, ainda não existia processadores, liquidificadores, geladeira e freezer. Então, provavelmente as frutas eram servidas in natura, os vegetais eram picados ou amassados e dado aos bebês.

BLW não é só comer com as mãos! Se não, os indianos estariam até hoje em processo de aprendizado em sua introdução alimentar, e o próximo passo, seria usar os talheres. Isto nos mostra que na introdução alimentar, não há bem uma regra. O que é certo o que é errado? É tão cultural que nos abre um leque de opções de como servir os alimentos inimagináveis.

Mas BLW também não é só comer com as mãos, é principalmente o respeito pelo bebê! É trazer a ele uma boa relação com a comida. Nada de forçar a comer ou deixar chorar. Este método, assim como o BLISS, deve ser feito de forma assistida pelo responsável, já que a chance de engasgo é maior.

Quanta experiência uma refeição pode trazer para o seu bebê com o método BLW?

Se o seu bebê recebe a banana amassadinha numa colher. Quais experiências e interações ele teve com a comida? Ele apenas recebeu a comida e sentiu o sabor.

Quando estamos falando de BLW é proporcionar ao bebê independência. Ele terá que se esforçar para segurar a banana, levar até a boca, sentir o cheiro, o sabor, a textura, mastigar pra depois engolir. É um processo lento, de paciência e de muita, muita sujeira, mas tenho certeza que será recompensante!

Quando o seu bebê está pronto para a introdução alimentar com o método BLW?

  • De preferência iniciar a partir de 6 meses;
  • Não apresentar protusão da língua;
  • Conseguir sentar-se sozinho;
  • Saiba levar objetos para a boca.

Características

  • Não dar suco de fruta e sim a fruta in natura;
  • Não se substitui a refeição por uma mamada. Caso o bebê queira mamar depois de comer, pode-se oferecer o peito;
  • A amamentação ainda continua sendo o principal alimento do seu filho;
  • Existem cortes seguros de cada alimento para que se evite possíveis engasgos;

Benefícios

  • A longo prazo, seu filho terá menos propensão a obesidade. Já que o processo de se alimentar sozinho trabalha a questão da saciedade e ansiedade;
  • Seu filho terá menos preferência por tipos de alimentos;
  • Provavelmente seu filho comerá mais legumes, verduras e frutas que outras crianças;

O que se espera num primeiro momento com esse método?

  • Leve interesse pela comida;
  • Apenas brinca com a comida;
  • Bagunça e muita sujeira caída no chão.

Obs.: Com cerca de dez meses, parece que a chavinha vira, e passam a se alimentar melhor como o esperado.

  • BLISS (Baby-Led Introduction to Solids)?

Em resumo, o método BLISS é uma versão adaptada e bem mais orientada que o método BLW e significa introdução de Sólidos Guiada pelo Bebê.

Pelo fato do BLW ter como ideia básica o bebê aprender a ter uma certa independência ao se alimentar conforme a sua vontade e interesse, existe o risco dele ingerir/consumir pouco ferro, que é uma das preocupações do método BLISS. Também, o método procura diminuir um possível déficit de crescimento por causa de uma alimentação com baixo aporte energético. E por fim, reduzir o risco de engasgo por meio de uma orientação mais completa que o BLW.

Recomenda-se:

  • Oferecer alimentos ricos em ferro em cada refeição;
  • Alimentos que ajudam a absorção do ferro no organismo;
  • Oferecer pelo menos um alimento com alta densidade energética;
  • Oferecer os alimentos sem distrações;
  • Os responsáveis deverão prestar atenção aos sinais de fome e saciedade do bebê;
  • Fazer cortes seguros dos alimentos;
  • Entender o reflexo de GAG, asfixia e engasgos.

O que é o reflexo de GAG?

Em resumo, o reflexo de GAG é uma proteção do corpo a qual todos tem, mas nos bebês esse reflexo é ativado no começo da língua, enquanto nos adultos, é ativado no fundo da língua. Esse reflexo é muito confundido com o verdadeiro engasgo, e nesse momento, o ideal é não entrar em pânico e esperar que o bebê se resolva sozinho; passe tranquilidade e segurança para ele.

É importante não tentar tirar o alimento enfiando o dedo na boca do bebê. Aguarde até ele jogar para fora da boca a comida; algumas vezes vem em forma de ânsia ou vômito.

Se ele estiver realmente engasgado e com as vias aéreas obstruídas, provavelmente irá tossir, ficar mole ou mudar de cor. Saiba fazer a manobra de Heimlich em bebês, antes da introdução alimentar, esta é uma tarefa para todas as mamães e pode salvar a vida da criança.

Obs.: O engasgo pode acontecer em qualquer um dos métodos escolhidos para introdução alimentar

Loja Lá Vem Bebê

Logo Lá Vem Bebê