Gripe na gravidez: saiba como se prevenir e tratar

Com a chegada do inverno, as doenças do sistema respiratório são mais recorrentes entre as gestantes. As baixas temperaturas associadas às alterações no sistema imunológico da mulher pedem um maior esforço de prevenção para doenças contagiosas, como a gripe na gravidez. Entenda como essa doença age sobre o organismo e como lidar com ela!

Como a gripe atua no organismo?

A gripe é uma inflamação do sistema respiratório que possui alta incidência em todo mundo. Pode provocar diversas complicações no organismo, como coriza, mal-estar, febre alta, dor no corpo, dor de cabeça, dor de garganta, bronquite, sinusite e até pneumonia, quando evolui para um estágio mais grave.

A doença é causada por um vírus chamado Influenza, altamente contagioso, disseminado pelo ar após tosses e espirros de pessoas contaminadas. Pode durar de 2 a 7 dias no ciclo normal do vírus.

Qual é a diferença entre gripe e resfriado?

O resfriado comum é causado por um tipo de vírus diferente – o chamado rinovírus. Nesse caso, os sintomas são mais leves e a recuperação é mais rápida. Não torna a rotina incapacitante, como na gripe, que exige repouso para a devida recuperação. Geralmente, o próprio sistema imunológico é capaz de combater o vírus.

Existem épocas do ano com maior propensão à gripe?

Sim. Com a chegada do frio, todas as doenças do sistema respiratório ficam mais frequentes. Podemos dizer que as baixas temperaturas paralisam os cílios que protegem nosso sistema respiratório de micro-organismos invasores. O local da infecção vai depender de onde eles se instalarem.

Além disso, durante o inverno costumamos manter portas e janelas fechadas, dificultando a circulação de ar e favorecendo a concentração do vírus.

Por que a gripe é mais frequente durante a gravidez?

Na gravidez, a dinâmica do sistema imunológico da mamãe é alterada e fica mais vulnerável a infecções e doenças contagiosas. Isso acontece para que não ocorra rejeição do feto, que pode ser confundido com um corpo estranho pelo organismo. Assim, é comum que a doença se manifeste várias vezes durante a gestação.

Quais os riscos da gripe na gravidez?

A gripe na gravidez não afeta o bebê: ele fica devidamente protegido dentro do útero. No entanto, como a saúde dele depende da sua, um alto grau de debilitação pode influenciar o bem-estar do feto também.

A gestação, em si, já é um processo repleto de desconfortos que absorvem boa parte das energias da mamãe. Então, como não é possível prever a extensão dos danos, o melhor caminho é mesmo a prevenção!

Como prevenir a gripe na gravidez?

Existem diversos cuidados que podem ajudar a prevenir a gripe na gravidez. A maioria se refere ao fortalecimento do organismo para que o sistema imunológico possa atuar de maneira mais eficiente.

Mantenha uma alimentação equilibrada

Um corpo saudável geralmente é um corpo bem nutrido. Mantenha uma alimentação balanceada, com legumes, frutas e verduras, e busque a energia necessária em carboidratos, proteínas e gorduras boas. Consuma frutas cítricas e outros vegetais ricos em vitamina C, como brócolis, couve-de-bruxelas, tomate, espinafre, aspargos, repolho e rúcula.

 

Leia também:

 

Hidrate-se

É mais fácil esquecer de tomar a quantidade de água necessária durante o inverno. Mas, como a umidade do ar já é baixa nesse período, a desidratação pode favorecer a proliferação de várias doenças respiratórias. Portanto, fique atenta! Beba bastante líquido e, se possível, utilize um umidificador nos ambientes que você passa mais tempo.

A inalação ou a lavagem do nariz com soro fisiológico também é uma ótima medida: além de hidratar as mucosas nasais, também ajuda a eliminar das vias aéreas a poluição e os micro-organismos invasores.

Higienize as mãos constantemente

Para evitar a contaminação com o vírus, mantenha na bolsa um frasco de álcool em gel 70% e utilize sempre que estiver em locais públicos.  Assim, ficará protegida caso toque em superfícies ou objetos contaminados e acabe levando a mão à boca, olhos e nariz.

Evite contato com pessoas doentes

Se tiver algum parente, amigo ou conhecido com gripe, explique a situação e evite contato.

Vacine-se

Todos os anos, o governo federal promove uma campanha nacional de vacinação conta a gripe para diminuir o impacto da doença em todo o país. A imunização é feita com o vírus inativo, portanto, não há risco de grandes efeitos colaterais: apenas um leve mal-estar pode ser sentido nos primeiros dias.

A vacina é gratuita em toda a rede pública apenas para pessoas do grupo de risco, que sofrem mais com os efeitos da doença. As gestantes estão na lista! Portanto, procure o serviço na unidade básica de saúde mais próxima da sua casa.

Qual é o tratamento ideal para a gripe em gestantes?

A gripe na gravidez não pode ser tratada da mesma forma que em não-gestantes, já que vários medicamentos podem afetar o desenvolvimento do bebê e provocar o retardo do parto. É o caso da aspirina, codeína e ibuprofeno, por exemplo.

Já os descongestionantes nasais são vasoconstritores e podem provocar aumento de pressão. Para tratamento da dor e febre, apenas o paracetamol é indicado, mas também não deve ser tomado sem prescrição médica.

Para ajudar no tratamento, vale a pena recorrer a soluções naturais, como chás com mel e limão, inalação com soro fisiológico e gargarejos com água e sal para dor de garganta.

Nossas dicas foram úteis para você? Então compartilhe nas suas redes sociais para ajudar outras mamães!

Gripe na gravidez: saiba como se prevenir e tratar
Média 5 (100%) de 1 avaliações