fake news da gravidez

Fake news da gravidez: descubra o que é mito e verdade

Assim que o esperado resultado positivo no teste de gravidez chega, muitas mamães de primeira viagem ficam na dúvida a respeito do que pode e não pode ser feito. Também, além de saber o que pode ou não pode ser feito, é sempre bom consultar, antes de tudo, um médico especialista. Muitas vezes escutamos das nossas avós ou de tias mais velhas alguns conselhos que nos perguntamos: o que está por trás das fake news da gravidez?

Durante a gestação, o que não nos falta são os palpites, seja de amigos, pais, parentes e até vizinhos ou pessoas desconhecidas. Todos querem opinar sobre os hábitos da nova mamãe, como a gestação está sendo e dar aquele “conselho amigável”, ou uma “ajudinha”. 

Ao longo do artigo, dedicamos um tópico exclusivo sobre como agir diante ocasiões que podem ser desagradáveis. Dessa forma, os pais conseguem escolherem a melhor forma de se portarem.

Os dizeres populares, de fato, não são verdades absolutas. Muitos deles são baseados em crenças e costumes antigos, sem conhecimento científico algum. Como forma de ajudar as mamães a desvendarem as fake news da gravidez, respondemos à respeito de alguns ditos muito falados. Boa leitura!

Como agir

Mesmo que ninguém tenha pedido ajuda ou pedido opinião, irão sempre querer falar. Uma dica para isso é: escute, absorva e informação que quiser ou se posicione diante da situação. 

Na realidade, quem realmente devemos dar ouvidos é apenas o médico. Ele sim pode te permitir ou deixar de te permitir algo. “será que ela pode estar comendo isso?”; “não pode beber chá”; “não pode beber café”; “não pode fazer exercício físico”. Esse são alguns exemplos de falas que você, mamãe, já deve ter escutado por aí ao longo dos 9 meses de gestação.

Fake news da gravidez: mito ou verdade

Aqui vão uns pontos que sempre ouvimos, mas temos dúvidas da veracidade. Com certeza, existem inúmeras informações falsas veiculando na internet, sem nenhum controle de fake news. É muito importante, antes de mais nada, sanar todas as dúvidas com o seu médico obstetra, pois, o que pode ser permitido para uma mamãe, pode não ser permitido para outra. Cada gestação é única, cada corpo é único e cada bebê é único.

Esclarecido isso, podemos começar. Confira alguns mitos e verdades da gestação:

“Grávida não pode tomar chá.”

MITO. Muitas gravidinhas tem esse questionamento se é ou não proibido tomar chá, talvez porque alguém falou ou escutamos isso de nossas avós. Na realidade, existem certos tipos de chás que devem ser evitados na gravidez, com excesso de cafeína e com efeito diurético. Por exemplo, é recomendável evitar: chá mate, chá verde, chá preto, chá de canela, chá de boldo, chá de hibisco etc. Quanto aos outros tipos de chás, é sempre bom usar o bom senso na escolha dele e evitar beber grandes quantidades.  

“Grávida não pode andar de avião”

MITO. As grávidas podem e devem andar de avião caso se sintam confortáveis. É muito bom relaxar antes da chegada do baby e fazer aquela Baby Moon dos sonhos. É recomendado evitar viagens de avião a partir do oitavo mês de gestação porque o bebê pode vir a nascer dentro do avião. 

Então já sabe, não deixe aquela viagem maravilhosa para última hora. Existem algumas dicas valiosas caso a mamãe grávida queira viajar de avião: usar meias elásticas, movimentar-se de hora em hora e fazer uma curta caminhada – apenas para ativar a circulação das pernas.

“Grávida não pode fazer ginástica”

Este tópico é parcialmente verdade e parcialmente mentira. Ao longo da gestação, a grávida pode e deve se exercitar, afinal, todo o corpo dela está mudando nesse momento. É saudável para a mãe e para o bebê a atividade física. Seja caminhada, musculação leve, pilates e yoga para gestantes, alongamento, hidroginástica, tudo isso será benéfico. 

O indicado é que se a mãe, antes da gestação, não praticava nenhum exercício e caso deseje começar algo, que seja algo leve e sem muito impacto, que não suba tanto seus ritmos cardíacos. Caso a mãe seja atleta ou já seja praticante de algum exercício físico, deve continuar, mas na intensidade moderada. 

Não é recomendado exercícios que deixem a mãe ofegante e que aumentem consideravelmente os seus batimentos cardíacos, bem como exercícios de impactos e esportes coletivos. Importante também o médico obstetra liberar a atividade física acompanhada por um profissional.

“O formato da barriga da grávida indica o sexo do bebê”

MITO. O formato da barriga depende da posição do bebê, da quantidade de líquido amniótico a mãe está, da posição da placenta e do tamanho da barriga da gestante. Logo, nada influencia o sexo do bebê.

“As grávidas com azia terão bebê com bastante cabelo”

MITO. As alterações do corpo da mulher são inúmeras, os órgãos estão se acomodando de outra maneira para a chegada do bebê, bem como hormonais. Assim, sentir azia por conta das mudanças digestivas no organismo é completamente normal.

“Grávidas não podem dirigir”

MITO. As grávidas podem e devem dirigir com segurança e se sentirem confortáveis para isso. Alguns médicos recomendam que a barriga fique com a distância de um palmo do volante. No final da gestação não é recomendado que as grávidas dirigem. O uso de motos e bicicletas estão proibidos, já que o centro de gravidade da mulher muda à medida que a barriga cresce, aumentando assim o risco de desequilíbrio e acidentes. Não há nenhuma orientação do DETRAN (Departamento estadual de Trânsito) quanto às restrições.

“Grávidas não devem beber álcool durante a gestação inteira, nem de forma moderada”

VERDADE. Grávidas estão proibidas do consumo de álcool durante toda a gestação, qualquer tipo de bebida e percentual de álcool. É muito importante destacarmos que o consumo de álcool na gravidez traz consequências sérias para o desenvolvimento do bebê. Quando ocorre o uso de álcool durante a gestação, pode ocorrer a síndrome alcoólico fetal, que causa má formação no rosto do bebê.

Além disso, o cigarro também deve ser evitado. A mãe fumante pode contribuir para que o bebê nasça abaixo do peso, pois gera o estreitamento dos vasos sanguíneos e chega menos nutrientes a ele; ainda, pode trazer outras complicações para ele, como síndromes respiratórias e infecções.

“Grávidas podem sentir mais calor.”

VERDADE. Isso é devido às alterações hormonais.

“Cerveja preta aumenta a produção de leite”

MITO. O que pode aumentar na produção do leite materno é a ingestão de água, repouso da mãe, alimentação saudável, além de dar de mama para o bebê. A sucção do bebê estimula a produção do leite. 

Se você tem dúvidas sobre amamentação, vale a pena conversar com uma consultora de amamentação, que é especialista no assunto, bem como seu médico. É estritamente proibida a ingestão de álcool durante a amamentação.

“O ciclo da lua pode influenciar a data do parto”

VERDADE. Pode parecer uma tremenda fake news da gravidez, mas esse fato pode influenciar na data do parto. Caso ocorra mudança para a mesma lua da concepção no último mês de gestação, aumenta a chance de romper a bolsa da mãe. Muitos médicos notam que na mudança de lua e/ou na lua cheia ocorrem mais partos. A mudança da lua não influencia no parto pré maturo, apenas se o bebê está prestes a nascer. 

Se for lua cheia, ela pode influenciar no nascimento. Assim como a maré no mar. Portanto, não crie expectativas, mamãe. Isso não quer dizer que irá nascer exatamente na troca de lua.

“A mulher que amamenta não pode engravidar”

MITO. A mãe que amamenta tem a chance de engravidar, sim! Então CUIDADO. A mãe que acabou de dar à luz é fértil e, ainda que não tenha voltado a menstruar, já pode ter voltado a ovular (isso antes da volta da menstruação).

A amamentação causa contrações uterinas, fazendo com que o útero volte ao seu tamanho normal, como antes da gravidez. Importante destacar que isso não tem nenhuma relação com a infertilidade da mulher. 

É recomendável a mulher fazer o uso de contraceptivos para não engravidar nessa fase, já que, para que a mãe volte com o corpo e o útero de antes, deve-se esperar no mínimo 6 meses.

Para concluir…

De modo geral, existem inúmeras fake news da gravidez, que envolvem o universo da maternidade e da paternidade. Algumas até tidas como tabus e mitos populares sobre a gestação.

É importante, para a mãe de primeira viagem, sempre consultar o seu médico e se informar a respeito da veracidade das informações que são ouvidas, sejam ditas por de parentes e amigos próximos, ou até mesmo aquelas que são lidas na internet. A melhor pessoa para responder a esses questionamentos são os médicos especializados no assunto, no caso, o obstetra.

Se você gosta desse tipo de conteúdo e quer se manter atualizada sobre o universo da maternidade, nos acompanhe nas redes sociais. Postamos conteúdos fresquinhos a cada dia na nossa página do Instagram e do Facebook. Esperamos você por lá!