Doenças na gravidez

Doenças da gravidez: Quais são e como se proteger?

Descobrir a gravidez é um momento mágico para muitas mulheres, mas também é um momento para começar a tomar alguns cuidados para que o momento da gestação seja saudável para a mamãe e seu bebê. E isso inclui saber sobre as possíveis doenças da gestação.

Neste post, falaremos sobre algumas das doenças mais comuns durante a gravidez, entendendo quais os seus sintomas e o que fazer para evitá-las, já que elas podem fazer mal não só para você como também trazer consequências para o seu bebê.

Infecção Urinária

Esse já é um problema enfrentado por muitas mulheres, já que 30% delas terão pelo menos um episódio de infecção urinária na vida. Entretanto, no período da gravidez esse problema pode ser ainda mais frequente.

Infecção Urinária

Esse problema é causado por uma bactéria, que acaba causando dor e desconforto para a mulher quando ela urina. Apesar de parecer ser um problema simples, ele pode trazer consequências graves para o bebê, como a sua má formação ou até mesmo causar parto prematuro.

Os principais sintomas da infecção urinária na gravidez:

  • Dor o sensação de queimação ao urinar;
  • Sensação de não conseguir deixar a bexiga cheia após urinar;
  • Vontade repentina e frequente de urinar em pequenas quantidades;
  • Urina com presença de sangue ou turva;
  • Sensação de desconforto ou peso na região da bexiga;
  • Febre baixa persistente.

Como evitar a infecção urinária na gravidez?

Para evitar a infecção urinária durante a gestação (ou até mesmo quando você não estiver grávida), é possível tomar algumas atitudes simples, mas que farão toda a diferença na saúde do seu sistema urinário:

Procure sempre urinar quanto tiver vontade, evitando segurar o xixi, principalmente após fazer relações sexuais. A urina auxilia a limpar a vagina de bactérias e outros seres que podem fazer mal ao seu corpo.

Depois de ir ao banheiro, é importante se limpar corretamente, para que você não leve impurezas para o seu canal urinário. Assim, procure passar o papel higiênico no sentido frente para trás. Com isso, as bactérias presentes no ânus não irão para a sua uretra.

Além disso, faça higiene íntima todos os dias, lavando a região com sabonete próprio para a região, já que ele não altera o pH vaginal. Além disso, procure fazer essa limpeza também após as relações sexuais.

Pré-eclâmpsia

Esse é uma problema muito comum em mulheres grávidas, podendo causar pertubações hepáticas, aumento da pressão e inchaço no corpo. Ele aparece principalmente durante o terceiro trimestre da gravidez, ocasionando em um envelhecimento da placenta, e consequentemente, o parto prematuro.

Doença da gravidez Pré-eclâmpsia

Ela pode, muitas vezes, ser confunda com uma pressão alta que aconteceu durante a gravidez, porém ela é uma doença muito mais grave e que pode trazer riscos para a mãe e seu filho. Não se sabe exatamente quais as suas causas, mas quando é tratada de maneira precoce, pode ser controlada rapidamente.

Os principais sintomas da pré-eclâmpsia:

  • Pressão das artérias acima de 160 x 110 mmHg;
  • Dor no lado direito do abdômen;
  • Dor de cabeça frequente e forte;
  • Alterações na visão (vista escurecida ou embaçada);
  • Menos vontade de urinar e menos urina na micção;
  • Presença de proteínas na urina;
  • Ganho repentino de peso ou inchaço;
  • Sensação de ardência no estômago.

Como prevenir a pré-eclâmpsia?

Não existe uma maneira certa de evitar a pré-eclâmpsia, além de tomar os cuidados com a sua pressão arterial para que ela não evolua. Entretanto, é possível tomar algumas precauções para que ela não evolua para uma eclâmpsia.

Assim, a melhor forma para evitar a doença é fazer o seu pré-natal da maneira correta, para que qualquer anormalidade na sua pressão seja rapidamente identificada e tratada. Caso você já esteja com pré-eclâmpsia, é possível tomar alguns cuidados para evitar o seu avanço:

  • Se mantenha em repouso;
  • Seguir as recomendações do médico para controlar o peso;
  • Medir sua pressão com frequência;
  • Investir em uma dieta com pouco sal;
  • Em casos mais graves, o médico poderá indicar remédios anticonvulsivantes  e anti-hipertensivos.

Anemia

A anemia é uma doença que costuma aparecer com frequência em grávidas, principalmente por conta de uma alimentação não tão saudável. Ela é ocasionada pela falta de ferro no sangue, o que pode afetar o crescimento do bebê.

Anemia na gestação

Gestantes contam com mais chances de desenvolverem anemia por conta da sua maior produção de sangue, para que o bebê consiga receber todos os nutrientes necessários para sobreviver. Caso a mãe não adapte a sua alimentação, ela pode apresentar deficiência de ferro.

Sintomas da anemia gestacional:

  • Sensação de fraqueza e cansaço;
  • Palidez em pele, unhas e lábios;
  • Falta de ar;
  • Tontura;
  • Dificuldade em se concentrar;
  • Batimento cardíaco acelerado.

Como prevenir a anemia?

A melhor maneira de prevenir a anemia durante a gestação é tendo uma alimentação rica em vitaminas e minerais, em especial o ferro. Alguns alimentos que devem fazer parte da alimentação da mamãe nesse período são as carnes, peixes, aves, principalmente o fígado, já que o ferro presente nele é facilmente absorvido pelo organismo.

Além do ferro, a alimentação deve ser rica em vitamina C, já que ela auxilia na absorção desse mineral pelo organismo. As proteínas também precisam estar bem presentes, já que eles ajudar a criar novas células para a mãe e o bebê, garantindo o seu desenvolvimento celular normal.

Os carboidratos fornecem as calorias que a gestante precisa, permitindo que o corpo guarde as proteínas para outras funções mais importantes. Alguns alimentos ricos em carboidratos são os cereais, pães e massas.

Diabetes gestacional

A diabetes gestacional é caracterizada pelo aumento dos níveis de glicose no sangue durante o período de gravidez. ela pode ocasionar em complicações para a saúde da mamãe e do seu bebê.

Diabetes gestacional

Problemas nos rins e hipertensão são doenças comuns que podem ocorrer em mulheres que estejam dom diabetes gestacional. Ela aprece de maneira mais frequente no terceiro trimestre da gravidez, quando a mãe precisa produzir mais insulina e também ingerir mais carboidratos, para que ela se mantenha saudável e o bebê continue a se desenvolver.

Sintomas da diabetes gestacional:

  • Muita sede;
  • Excesso de fome;
  • Aumento da vontade de urinar;
  • Ganho excessivo de peso pela mãe ou pelo bebê;
  • Inchaço nos pés e nas pernas;
  • Cansaço extremo;
  • Infecção urinária frequente ou candidíase;
  • Visão turva.

Como prevenir a diabetes gestacional?

Para não precisar lidar com a diabetes gestacional, é preciso tomar muito cuidado com a sua alimentação, preferindo alimentos que tenham carboidratos de qualidade, bem como comidas integrais e fontes de proteínas.

Assim, o seu corpo estará saciado mais rapidamente, evitando a alta liberação de glicose no organismo. Além disso, invista em consumir pelo menos 5 porções de frutas durante o dia, além de ficar mais de duas horas sem se alimentar.

Também é importante conversar com o seu médico sobre a realização de atividades físicas, caso você seja uma pessoa sedentária. É possível fazer exercícios mais leves, como caminhada ou atividades dentro d’água.

Vaginose bacteriana

A vaginose bacteriana é uma doença causada por bactérias, sendo a principal delas a Gardnerella Vaginalis. Mesmo alguns desses organismos se desenvolverem naturalmente em nosso corpo, ela pode ser transmitida por meio da relação sexual sem proteção.

Vaginose bacteriana na gestação

É considerada uma das infecções mais frequentes durante o período de gestação, sendo também ocasionada pela desregulação hormonal, o que desequilibra toda a microbiota vaginal, aumento as chances da doença aparecer.

Alguns sinais da vaginose bacteriana na gestação:

  • Cheiro forte na região, se assemelhando a um peixe podre;
  • Sensação de queimação ao urinar;
  • Corrimento branco ou acinzentado;
  • Coceira e vermelhidão na região genital.

Como se prevenir da vaginose bacteriana?

Existem algumas maneiras de diminuir as chances de contrair uma vaginose bacteriana. Uma delas é evitar as duchas vaginais, que podem alterar o pH da região. Além disso, também evite passar perfumes na região da vulva.

Roupas muito justas e de material sintético podem aumentar a umidade da região, fazendo com que ela fique propícia ao aparecimento de bactérias, o ideal é, quando estiver em casa, não utilizar calcinhas, para que a região possa respirar.

Na hora de se lavar, prefira utilizar sabonetes próprios para a região íntima, já que os produtos para o resto do corpo contam com um pH diferente, o que causa efeitos negativos para a microbiota vaginal.

Lembre-se: Fique atenta á qualquer sinal diferente em seu corpo, não deixe nada passar. Algumas doenças na gestação podem ser muito perigosas, por isso procure um médico sempre que achar necessário e tire todas as suas dúvidas. Ele poderá te auxiliar da melhor forma possível e passar o tratamento correto para aquilo que esteja sentindo.

Gostou do post? Então compartilhe com a sua amiga gravidinha. Assim ela ficará sabendo sobre essas doenças e poderá se prevenir também! Caso você tenha passado por algumas dessas doenças durante a gravidez, nos conte como foi CLICANDO AQUI!