A notícia da chegada do bebê traz novidades para toda a família. E para o animal de estimação também!
Novos cheiros, novos comportamentos e mais uma pessoa para a “matilha” dele. Até que ele consiga entender que o bebê faz parte da família e que ele é importante para seus donos, há um caminho a percorrer.
E, ao contrário do que pensa a maioria, preparar o pet para a chegada do bebê não começa com a vinda da maternidade. Ele começa muito antes.
As mudanças que o animalzinho vai ter que enfrentar, já devem ser apresentadas a ele desde o início da gestação. Os novos hábitos devem ser introduzidos devagar para que ele não associe toda essa mudança apenas à chegada do bebê.

A primeira apresentação

Ao descobrir a gravidez, naturalmente o comportamento da mamãe muda.
Ela passa a ficar mais protetora com a sua barriga e os pulos e saltos já começam a não ser tão bem-vindos.
No caso dos cães, dependendo do porte do animal, isso pode ser até perigoso. O ideal é que a mamãe comece a explicar para o seu “filho” peludo que vem um bebê por aí! Conversar com o animal é o primeiro passo a se tomar.

A mudança de hábitos

Na maioria das vezes, os animais de estimação vão sofrer alguma restrição com a chegada do bebê. Seja não subir mais no sofá ou não entrar no futuro quarto do neném, essa mudança já deve ser feita muito antes do nascimento.
Toda mudança nos hábitos dos animais deve ser feita de forma lenta e gradual. É necessário que ele entenda que não pode ter mais aquele comportamento e não simplesmente que ele é punido quando o tem.
A ausência dos donos também deve ser apresentada para os bichinhos. Ficar um tempo com o papai dentro do quarto do bebê, ajuda com que o pet se acostume com o “sumiço” de vocês por algum período.
Assim, quanto mais lenta for essa mudança, melhor para ele.
Deixar com que ele tenha algum contato com as coisas do bebê também ajuda bastante. Apresente a colônia, o shampoo… Ele vai saber que aquele é um cheiro novo e que vem novidade por aí.

O bebê está chegando! Como vai ser?

A mamãe foi para a maternidade. Normalmente, após o parto, ela ainda vai ficar pelo menos dois dias por lá.
Durante este período, o papai já pode levar alguma roupinha que o bebê usou e apresentar para o cachorro ou para o gatinho!
Quando o bebê chegar em casa, ele vai lembrar daquele cheiro! Que tal colocar o brinquedo favorito dele junto com essa roupinha? Ele vai associar o cheirinho do bebê somente a coisas felizes!

A mamãe e o bebê vieram para casa

Esse primeiro contato é um dos momentos mais temidos pelos papais. Mas fique calma! Com paciência tudo se ajeita!
Logo na chegada da maternidade é muito importante que, tanto a mamãe quanto o papai, tratem seus bichinhos de forma normal. Não diminua a quantidade de carinho nem de atenção para o seu cãozinho ou gatinho!
As apresentações devem ser feitas com calma. Aos poucos, com o passar dos dias, vá deixando com que o animal se aproxime do bebê.
Mas nada de lambidas no recém-nascido! O seu animalzinho de estimação precisa entender que deve ter cuidado ao se aproximar do pequeno. Premie essa atitude dele!
Quanto mais associações com momentos alegres, mais forte essa amizade vai nascer.

Uma amizade começa…

Todo contato do bebê com o animalzinho de estimação deve ser avaliado pelo pediatra!
Nos três primeiros meses, o contato direto com o animal não é recomendado. Mas a aproximação pode acontecer mesmo assim.
Que tal chamar seu bichinho para perto enquanto amamenta? Ou deixar ele dar uma entradinha rápida no quarto para sentir- e se acostumar- com o cheirinho do bebê?
Entre os três e seis meses, com as vacinações de todos em dia, o contato pode começar. Afinal, daqui a algum tempo o bebê já começa a engatinhar, e o contato será inevitável.
Deixe o animalzinho conhecer o bebê aos poucos, e ressalte as boas condutas dele.
Festas e chuvas de carinhos para quando o animalzinho se aproximar de forma calma e tranqüila devem acontecer sempre!
O ideal é que eles associem, um ao outro, a momentos alegres!
A partir dos seis meses, quando o contato começa a ser ainda maior, o importante é que o pet seja sempre supervisionado. Preparar o animal para a convivência com o bebê também faz parte do processo.
E o bebê também deve ser ensinado a como tratar seu bichinho de estimação! Estimule o contato de maneira leve, sem puxões e apertões.
Esse convívio só vai trazer benefícios para todo mundo!
O contato da criança com um bichinho de estimação ajuda a estabelecer as noções iniciais de responsabilidade e de contato com os outros.
Além disso, o contato com os animais melhora a saúde emocional das crianças, criando laços de afeto e fazendo com que elas fiquem mais calmas.
Mas é sempre importante lembrar: para que o animal de estimação tenha contato com o bebê é muito importante que ele esteja com a saúde em dia.
Visitas periódicas ao veterinário, a manutenção das vacinas em dia e banhos semanais são as recomendações básicas para que esse contato seja saudável e benéfico para toda a família.
O primeiro amiguinho do seu pequeno vai ser inesquecível para ele! E você ainda vai ganhar mais um protetor incondicional para o seu bebê.

Como preparar meu animal de estimação para a chegada do bebê?
Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *