Cha de Bebe Online
brincadeiras para os bebês

Brincadeiras e estímulos para os bebês

Vamos falar de brincadeiras e diversão? Entreter um bebê nem sempre é uma tarefa fácil, você compra muitos brinquedos e nem sempre o bebê aceita, nem sempre ele brinca como você sonhou.

As vezes as panelas da cozinha, as colheres, potes e papéis são mais atrativos do que os brinquedos que são únicos e exclusivos para eles. Não, é? Vou contar para vocês algumas brincadeiras legais para fazer com os bebês e citar também alguns dos brinquedos preferidos da Joana.

Viva a música

O bebê recém-nascido não tem muitos estímulos e brincadeiras que possamos fazer, até porque eles dormem a maior parte do tempo, mas uma coisa muito legal é colocar o bebê para ouvir músicas ou você cantar pra ele, principalmente as músicas que você cantava na gravidez.

Cantar para o bebê

Cha de Bebe Online

Eu sempre cantava para a Joana a música “Anunciação” do Alceu Valença, eu amava ouvir e cantar para ela na barriga e uma coincidência muito legal foi que ela nasceu em uma “manhã de domingo” exatamente como diz a música. Eu sempre brincava que para ser nossa música mesmo, ela teria que nascer assim e foi dessa forma que aconteceu. Todas as vezes que eu cantava para a minha filha, ela ficava com aqueles olhinhos de jabuticaba observando. Que momento lindo!

Aos 2 meses, e isso até o final dos 3 meses, a gente começa a estimular e brincar um pouco mais com os bebês, colocá-los de bruços na cama para ajudar no fortalecimento do pescocinho deles, continuar cantando e agora eles também prestam mais atenção nos brinquedos coloridos, nos nossos movimentos também, dessa forma a gente consegue estimular eles brincando.

Cadeirinha musical

Nessa época, compramos uma cadeirinha musical de balanço para a Joana que, apesar dela não ficar muito tempo na cadeira, as músicas e os bichinhos balançando chamavam muita atenção quando estava sentada nela. A cadeira também vibra, o que fazia com que ela ficasse bem quietinha relaxando por um tempo.

Ela usou a cadeirinha até uns 6 meses, quando virou mais um objeto de brincadeiras externas, ela empurrava a cadeira, puxava os bichinhos e por aí vai. Quando ela começou a ficar em pé, a cadeira também foi bem útil para impedir dela entrar em alguns cômodos!

Sons

O bebê nessa fase começa a querer sentar e isso ajuda a pegar melhor os objetos próximos e fica mais ativo para brincadeiras. Aqui em casa, assim que a Joana começou a sentar, ela começou também a se interessar pelos brinquedinhos musicais, fizemos um chocalho de garrafa pet com arroz dentro que ela amava o barulhinho e sacudir.

bebê e os sons

Eu colocava almofada de amamentação atrás dela para dar firmeza e ela ficava um tempo brincando feliz com essa nova habilidade, no berço dela já se interessava pelo barulho do mobile e também gostava de ver ele girando.

Um outro brinquedo que Joana amava foi um livrinho que quando abre o sol acende e canta. Ela ficava abrindo e fechando o tempo todo, fazendo bastante barulho!

Mordedores

Com 4 meses o bebê muda muito, adquiri muitas novas habilidades (como falei no post dos saltos de desenvolvimento) e com isso ele começa a querer pegar os objetos próximos, começa a fase oral, onde tudo que pega vai para a boca. Os dentinhos também começam a coçar, por isso um excelente brinquedo nessa época é o mordedor. Joana teve uns 2 ou 3 mordedores, e o que ela mais gostou foi o que tinha umas elevações, acho que coçava melhor.

Todo cuidado é pouco

Aos 6 meses ela já sentava, já rolava sozinha na cama e já começava alcançar objetos próximos e, a partir daí, além de todo cuidado ser pouco, ela começou a querer pegar tudo que a gente mexia e principalmente colocar na boca. Tudo na casa virou brinquedo, alguns perigosos, e aí começa uma nova saga na vida de mãe, o famoso “todo cuidado é pouco”.

Comidinhas

Além disso, a melhor diversão era a hora da comida (que brinquedo bom esse negócio de comer!), como Joana ama esse horário até hoje, ela brinca, come, briga quando acabam alguns alimentos, além de querer dar tudo que come para o cachorro também.

Os “brinquedos” da cozinha se tornaram bem interessantes, assim como fazer comida, apelidamos ela de “Chef Jou”, ela tem até roupinha de chef. Sempre na hora da comida ela participa, essa brincadeira é muito interessante para ela aceitar os alimentos e fazer parte do preparo. A cozinha esquece, fica uma bagunça! O pediatra que nos indicou fazer isso pois ela se interessaria pelos alimentos assim e no geral funciona mesmo.

Pets

Aqui em casa, como temos cachorro, a brincadeira com o cachorro também é muito legal e aceita por ela. Jogar bolinha pra ele virou atração do dia (ela ainda não conseguia jogar com 6 meses mas a gente jogava e a gargalhada era certa). Hoje em dia, com 1 ano, ela já pega na boca dele, joga e faz tudo sozinha, mas com 6 meses a gente ajudava e ela amava.

Engatinhar

Com 7 meses a melhor brincadeira dela foi engatinhar. Ela aprendeu no primeiro dia do 7° mês e tudo que ela queria era explorar a casa, tentar subir no painel da TV, agora tudo estava ao “alcance” dela, ela podia chegar no lugar que ela quisesse da casa sozinha.

No período de 7 meses até agora ela começou a se interessar por brinquedinhos, principalmente os barulhentos e musicais (tamborins, pandeiro, tecladinho, mini telefone que faz barulho…).

Brincadeiras clássicas

As brincadeiras de “achou” tampando o rosto com algum objeto (essa brincadeira é um sucesso), ela começou também a querer cantar as musiquinhas que a gente canta pra ela, as brincadeiras de cócegas, brincar de dançar.

Nessa fase ter amiguinhos também é muito indicado, mas por causa da pandemia a Joana não foi para creche, nós não saímos com ela para levar para tomar sol com outros bebês na praia e nem para a igreja, e por isso ela não tem amiguinhos, a gente se vira como consegue em casa mesmo.

Brincadeiras a partir de 1 ano

Agora com 1 aninho o interesse por brinquedos de montar ficou maior, ela gosta de montar as peças e também gosta de empurrar seu carrinho de atividades, além disso ela se interessa por todas as gavetas da casa, ela retira todos os objetos observando cada um.

Ela também aprendeu a falar “toma” e “dá”, essa brincadeira ela ama, passa o dia entregando e tirando objeto da nossa mão, ela aprendeu também a falar “alô”, então qualquer objeto e brinquedo viram telefone e aí da gente atender a ligação.

Outra que ela gosta de brincar é de “Vou pegar”, sai correndo pela casa dando cada gargalhada gostosa e também quer que a gente faça festa quando ela chega no ambiente. Os brinquedos dela começamos a ensinar a guardar, o que também não deixa de ser uma diversão pra ela, além de estarmos ensinando.

A importância das brincadeiras

É muito bom estimular nossos filhos, brincar. Aqui em casa ficamos um pouco perdidos com épocas e tempos dos estímulos pois por conta da pandemia da Covid-19, não tivemos muito contato com outras pessoas, também como falei, é indicado que a criança tenha outras crianças para brincar, assim uma estimula a outra e ensina brincadeiras novas.

Esperamos que isso passe logo e ela conheça amiguinhos. Agora estamos comprando novos brinquedinhos pra ela, ela também ganhou de aniversário blocos de montar, carrinho interativo, carrinho de passeio com buzina, estilo velotrol, cavalinho de pular, boneca que fala e outras coisinhas que ela está amando.

Imaginação na criação de brincadeiras

Existem também livros didáticos e muitas brincadeiras que a gente pode fazer com objetos que temos em casa mesmo. Nós não precisamos necessariamente comprar brinquedos caríssimos, os bebês se interessam por coisas simples como ficar tirando coisas da gaveta, por isso uma gaveta do nosso móvel da sala virou dela. Ela abre, pega coisas, fecha. As gavetas da cozinha que ela tem alcance também são coisas que podem bagunçar, como pano de prato e jogo americano.

O importante desses primeiros meses do nossos filhos é aproveitar cada detalhe para brincar. Eu tenho um rotina muito agitada mas sempre que possível eu fujo para brincar com ela. O meu marido também brinca e estimula muito as brincadeiras, a participação do pai e da mãe eu considero essencial para ela entender que nós podemos repreender as coisas erradas, mas também brincamos com ela, essa relação é excelente!

bebê

Ainda temos muito o que aprender com ela e para ela, mas deixo aqui a nossa experiência de papais confinados brincando com nossa bebê de 1 ano.

Gostou do post de hoje? Então compartilhe com outras mamães e inspire novas brincadeiras!